Internacional x Coritiba marcava a primeira partida do returno do Campeonato Brasileiro e a estreia do técnico Rodrigo Santana. E diante do líder da competição, o Coxa ficou no empate em 2×2, neste domingo (8), no Beira-Rio. O noviciado do treinador, o retrospecto ruim até agora na competição e o nível do adversário ajudam a explicar a falta de um jogo mais ofensivo, principalmente após a expulsão de Heitor.

+ No podcast De Letra, os bastidores das transmissões esportivas

E essa postura cautelosa em excesso, até compreensível pelo contexto do jogo, não pode ser a regra do trabalho do novo técnico. Diante do Bahia, na próxima rodada do Brasileirão, é preciso ter outra atitude. E também utilizar outros jogadores.

Mudança de última hora

O Coritiba tinha uma alteração importante: William Matheus tinha sido liberado por problemas particulares. Sem uma opção para a função, Rodrigo Santana preferiu escalar Mattheus Oliveira na lateral-esquerda. A ideia era manter o perfil de lateral construtor, já que o Coxa não tem um velocista pelo lado – Maílton chegou para ser (pela direita, claro) esse jogador.

De resto, alterações dentro do esperado. Sem Nathan Silva e Matheus Galdezani, diagnosticados com Covid-19, o novo técnico alviverde escalava Rodolfo na defesa e Matheus Sales de volta ao meio-campo, com Jonathan atuando pela direita. E Robson voltava ao time após cumprir suspensão. Uma escalação que precisaria conter o ímpeto do Inter, principalmente no primeiro tempo, mas também ameaçar o adversário.

Internacional x Coritiba: o jogo

Como era de se esperar, o Inter ficou com a posse de bola no início da partida. O sistema de marcação alviverde não mudara com o novo treinador – seguiam as duas linhas de quatro, com Neílton e Robson voltando bastante e Ricardo Oliveira e Giovanni Augusto mais à frente. Nos primeiros minutos, era um time quase no estilo de Jorginho, todo recuado.

Neílton ficou muito recuado na marcação de Patrick. Foto: Ricardo Duarte/SCI

Seria fundamental ter eficiência no ataque. E logo no primeiro lance ofensivo Ricardo Oliveira acertou a trave. Numa roubada de bola, no momento de pressão na saída de bola colorada. Mas o controle do jogo era colorado, com a bola rondando muito a área alviverde. E aí não tem jeito – uma hora o adversário acerta. Quando Heitor fez o quarto cruzamento para a área, Yuri Alberto apareceu nas costas de Rodolfo para abrir o placar.

Apesar da superioridade do time gaúcho, havia caminho para chegar no ataque. Mesmo no primeiro tempo, com apenas 33% de posse, o Coxa tinha chegado. E quando adiantou um pouco o time, na volta do intervalo Robson e Neílton participaram da jogada do gol de Giovanni Augusto. E o panorama da partida mudou mais ainda com a expulsão de Heitor, que foi definida pela ação do VAR.

Mas…

Em vantagem numérica, o Coritiba cometeu um erro infantil na perda de bola de Giovanni Augusto. E Nonato não desperdiçou a chance de recolocar os donos da casa na frente. Rodrigo Santana demorou a mudar a equipe, deixando o Inter muito confortável em campo. A ponto de acertar a trave com Edenílson. Mas a bola parada, que há tempos não resolvia, resolveu com Sabino desviando na primeira trave.

+ Confira todos os posts do blog AQUI!

Internacional x Coritiba estava empatado de novo. E com Henrique Vermudt, Yan Sasse e Nathan em campo, saindo Rodolfo, Mattheus Oliveira e Neílton. E depois com Rodrigo Muniz no lugar de Ricardo Oliveira. Mas, já na reta final da partida, Rodrigo Santana parecia satisfeito com o empate, a ponto de colocar Ramón Martínez na vaga de Giovanni Augusto. E até se compreende a posição do treinador estreante, mas que nas próximas partidas o Coxa tenha um pouco mais de ousadia.