Houve um tempo que o Paraná Clube contou com o ovo dentro da galinha – quer dizer, com o dinheiro dos investidores russos liderados por Roman Dubov no bolso antes de assinar contrato. Pois bem: em entrevista ao jornalista Napoleão de Almeida, o executivo Felipe Ximenes, autor do projeto apresentado ao Tricolor, admitiu que o acordo dificilmente vai sair. “As possibilidades de isso acontecer são muito pequenas”, disse o ex-diretor de futebol do Coritiba.

+ A polêmica corre solta no podcast De Letra

Segundo Ximenes, dois motivos foram decisivos para que as conversas entre o Paraná Clube e os investidores russos voltasse para a “estaca zero” (palavras dele). O primeiro é natural: a pandemia do novo coronavírus aumentou a incerteza sobre investimentos, principalmente no Brasil. A falta de uma conduta minimamente razoável para contar o avanço da covid-19 colocou o País em uma posição bastante comprometida no mundo dos negócios.

Felipe Ximenes explicou as razões da “estaca zero” entre Paraná Clube e TSI. Foto: Hedeson Alves/Arquivo

Falta de garantia

E por mais que se saiba que investir em futebol é jogar com o risco (uma bola na trave pode arruinar todo um processo), ninguém quer entrar numa parada em que a chance de perder é muito menor que a de ganhar. E aí não é porque é o Paraná Clube, mas a zona que é o futebol brasileiro atrapalha muito pra que venha grana de fora. Geralmente quem acaba investindo é meio picareta, como se viu com alguns gestores de criptomoedas que patrocinaram diversos clubes.

Some essa confusão à crise da pandemia e gera-se um cenário perfeito pra ninguém investir. É um drama que não atinge só o Tricolor, mas o futebol em particular e a economia do Brasil como um todo.

Vazamento no Paraná Clube?

Felipe Ximenes também disse que o vazamento do acordo de intenções entre a TSI e o Paraná Clube acabou afetando a negociação. Por mais que se discorde – e eu discordo -, é a forma como se lida com a informação no futebol. Há vários personagens que não gostam de ver seu nome aparecendo na mídia. Já houve gente que contratou assessores para ‘desaparecer’ do noticiário.

+ Por que queimamos as nossas revelações?

Neste caso, o estranhamento é porque o Conselho Deliberativo já havia dado OK para o acerto e a torcida era na quase totalidade a favor da parceria com os russos. E até já havia o aval da Justiça do Trabalho. De qualquer forma, é uma péssima notícia. Faz o Tricolor ter que correr de novo atrás de um parceiro, porque sem um aporte financeiro fica praticamente impossível pensar em acesso na Série B.

Leia também:

+ Como foi a decisão do governo estadual pela “quarentena seletiva”
+ PVC e o futebol paranaense: o episódio mais ouvido do podcast De Letra
+ A taça do mundo é nossa: Curitiba e a Copa de 1958


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?


+ Confira todos os posts do blog AQUI!