A derrota por 2×1 do Paraná Clube para o FC Cascavel, na noite desta quinta-feira (30), teve a sensação de um rito de passagem. Para muita gente, a quarta rodada do Campeonato Paranaense precisava acabar logo pra que viesse a sexta-feira (31). Afinal, há a expectativa para que seja enfim anunciado o investimento estrangeiro no futebol tricolor. Mas tinha um jogo no meio do caminho.

+ Felipe Ximenes: os prós e os contras do futuro homem-forte do Paraná

Começando bem pelo começo: não curti esse uniforme 3 do Paraná. Não parece o Tricolor, a marca da divisão vertical é muito forte, a horizontal não me agradou. Em campo, a opção de Allan Aal foi ter mais agressividade pelas extremas. Como Raphael Alemão fecha para o meio, o treinador escalou Thiago Alves para acelerar o jogo. Mas a organização tática do Cascavel (belo trabalho de Marcelo Caranhato) impedia que surgissem muitos espaços para a velocidade de Thiago e de Andrey.

Allan quis dar mais velocidade ao time. Foto: Albari Rosa/Foto Digital

+ No podcast De Letra, os esquadrões do futebol paranaense!

Faltava de novo a participação do meio-campo. Robson mais uma vez não ia bem e apenas Gabriel Kazu buscava o jogo. Assim, Rodrigo Rodrigues passou o primeiro tempo inteiro com o mesmo drama dos últimos centroavantes do Tricolor. Nada da bola chegar nele. Mas a soma da vontade de Robson com a trapalhada de Afonso originou o gol paranista. Gol vale de qualquer jeito.

+ Confira a classificação do Campeonato Paranaense!

Mas o jogo era equilibrado, e a falha na saída de bola permitiu que o FC Cascavel tivesse um pênalti a seu favor – Paulo Sérgio fez no rebote. Era um placar mais justo pelo que os times tinham mostrado. Com um jogador a mais a partir dos 20 minutos, o Paraná foi novamente obrigado a mostrar que poderia ser dominante em campo. Allan colocou Dudu e Rafael Furtado, mas o time do Oeste sobrou, levou mais perigo e marcou no finalzinho com Adenilson, quando o Tricolor tinha dois a mais. A vitória foi muito justa. E o Tricolor está fora do G-8.

+ Lista: 10 veteranos que jogaram muito por aqui, e outros que nem tanto

Agora, vem o que pode ser o primeiro dia de um Paraná Clube ‘novo’. Se não é a solução de todos os males, é talvez o único caminho possível para que o Tricolor possa pensar com a volta à primeira divisão.