O Cruzeiro chegou à quarta vitória seguida no Campeonato Brasileiro ao bater o Avaí por 2 a 1, neste domingo, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis. Mesmo jogando com um jogador a menos durante quase todo o segundo tempo, o time mineiro soube resistir à pressão dos mandantes e chegou ao sexto jogo invicto no Nacional. A boa fase lhe garantiu a quarta colocação, com 37 pontos, quatro a menor que o líder Fluminense. Os catarinenses, por sua vez, completaram o sétimo jogo sem vitória e caíram para o 17º lugar, com 24 pontos.

Um misto de jogadas equivocadas, falta de qualidade e eficiência caracterizaram o primeiro tempo no estádio da Ressacada. A marcação forte imposta pelas duas equipes impediu a criação de jogadas que empolgassem os quase seis mil torcedores presentes na Ressacada.

O Cruzeiro até que tentou se desvencilhar da marcação com um pouco mais de consciência nas iniciativas de gol. E foi uma das poucas jogadas da equipe mineira que originou pênalti do meia Caio no volante Fabrício, depois que o goleiro Renan fez uma grande defesa na finalização de Roger. A cobrança de pênalti, aos 24 minutos, foi bem executada por Roger, que fez 1 a 0.

Atabalhoado e sem muito espaço para poder reagir ao golpe, o Avaí viu o Cruzeiro dominar o restante do período e, com segurança, levar a vantagem no placar para o segundo tempo. “Torcer quando está tudo bem é fácil. Quero ver é torcer quando as coisas estão complicadas”, desabafou o meia Caio na saída de campo sob as vaias da torcida. O drama avaiano ainda aumentou no intervalo do jogo, com a expulsão do técnico Antônio Lopes.

Conduzido pelo inspirado meia Roger, o Cruzeiro perdeu o volante Marquinhos Paraná aos nove minutos da etapa final. Com um homem a mais, o Avaí até que se animou, mas teve dificuldades nas saídas de bola. O jogo, então, seguiu uma rotina de paralisações com origem nas constantes faltas e a catimba aplicada pela equipe mineira.

Para complicar ainda mais a situação do Avaí, o Cruzeiro chegou ao segundo gol aos 26 minutos, quando o atacante Thiago Ribeiro arriscou bateu forte a bola carimbou a trave e as costas de Renan antes de entrar.

O Avaí conseguiu descontar aos 33, com o atacante Laércio, após assistência em cruzamento do meia Jeferson, mas parou por aí. “Não adianta entrar em desespero. O segundo turno está só começando e temos condições de superar esta crise”, disse o veterano Sávio.

Na próxima quarta-feira, na Arena do Jacaré, o Cruzeiro recebe o Guarani. Já o Avaí joga diante do Vasco, na quinta-feira, no estádio São Januário, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA:

Avaí 1 x 2 Cruzeiro

Avaí – Renan; Patric, Emerson, Rafael, Eltinho (Laércio); Marcinho Guerreiro, Rudnei (Leandro Bonfim), Caio, Davi (Jeferson); Rafael Costa, Sávio. Técnico – Antônio Lopes.

Cruzeiro – Fábio; Jonathan, Leo, Edcarlos, Diego Renan; Fabrício, Henrique, Paraná, Roger (Pablo); Thiago Ribeiro (Wellington) e Farias (Fabinho). Técnico – Cuca.

Gols – Roger (pênalti) aos 24m do 1º tempo. Thiago Ribeiro, aos 26 e Laércio, aos 33 minutos do 2º tempo.

Árbitro – André Luiz de Freitas Castro (GO).

Cartões amarelos – Diogo Renan, Marquinhos Paraná, Jonathan, Farias, Roger e Fábio, (Cruzeiro); Patric, Leandro Bonfim e Marcinho Guerreiro (Avaí).

Cartões vermelhos – Marquinhos Paraná e Antônio Lopes.

Renda – R$ 28.890,00.

Público – 5.962 pagantes.

Local – Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).