Com um gol do lateral paraguaio Samudio já nos acréscimos, o Cruzeiro conseguiu evitar a derrota para o Cerro Porteño, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, pelas oitavas de final da Libertadores. O empate por 1 a 1 deixou o confronto aberto para o jogo de volta, marcado para acontecer no dia 30 de abril, em Assunção, no Paraguai.

Mesmo com o desfalque de dois titulares importantes – o meia Ricardo Goulart e o atacante Dagoberto, ambos com problemas médicos -, o Cruzeiro começou o jogo no ataque, disposto a abrir boa vantagem no confronto. Assim, criou chances nos minutos iniciais, como no chute de Samudio aos seis, que desviou na zaga e quase enganou o goleiro.

Aos 11 minutos, foi a vez de Everton Ribeiro chutar para boa defesa de Fernández. E aos 24, o garoto Elber, que tem apenas 21 anos e foi escolhido para substituir Ricardo Goulart, arriscou de longe, parando novamente no goleiro. Aos poucos, porém, o Cerro Porteño passou a equilibrar as ações dentro de campo, freando o ímpeto cruzeirense.

Quando começou a se aventurar no ataque, já sem sofrer tanta pressão, o time paraguaio conseguiu abrir o placar aos 31 minutos. No lance, Ortiz cabeceou após cobrança de escanteio e Fábio deu rebote. A bola, então, sobrou para Corujo, que cruzou rasteiro na área e encontrou Angel Romero livre para deslocar o goleiro, fazendo 1 a 0.

Logo depois, o meia Elber sofreu lesão e o técnico Marcelo Oliveira aproveitou para colocar o time no ataque, com a entrada do atacante Borges. Apesar disso, o Cruzeiro não foi capaz de pressionar o adversário como a torcida gostaria. E a empolgação cruzeirense pelo título mineiro conquistado no último domingo logo virou nervosismo.

Do outro lado, o Cerro Porteño mostrou segurança na defesa e ainda levou perigo no ataque, como aconteceu aos três minutos do segundo tempo, quando Oscar Romero ficou livre diante de Fábio, que fez defesa salvadora. Com dificuldade para entrar na área adversária, o Cruzeiro ameaçou em chutes de longe, como o de Júlio Baptista aos 25.

Com uma defesa bem armada pelo técnico Arce – ex-lateral que fez história no Grêmio e no Palmeiras -, o Cerro Porteño soube segurar o ataque cruzeirense. O time mineiro chegou a marcar o gol com Everton Ribeiro aos 39 minutos, após uma bola chutada na trave por Marlone, mas o árbitro uruguaio apontou impedimento e anulou o lance.

Na base da pressão, porém, o Cruzeiro conseguiu arrancar o empate. Já aos 48 minutos, houve uma confusa disputa dentro da área e a bola sobrou para Samudio, que encheu o pé, mandando entre as pernas do zagueiro Ortiz, que não conseguiu evitar o gol. A torcida cruzeirense, então, explodiu de alegria, voltando a acreditar na vaga.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 1 X 1 CERRO PORTEÑO

CRUZEIRO – Fábio; Ceará (Mayke), Dedé, Bruno Rodrigo e Samudio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro e Elber (Borges); Willian e Júlio Baptista (Marlone). Técnico: Marcelo Oliveira.

CERRO PORTEÑO – Fernández; Bonet, Cardozo, Ortiz e Alonso; Corujo, Oviedo, Julio dos Santos e Oscar Romero (Candia); Angel Romero (Beltrán) e Guiza (Torres). Técnico: Arce.

GOLS – Angel Romero, aos 31 minutos do primeiro tempo; Samudio, aos 48 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Daniel Fedorczuk (Uruguai).

CARTÃO AMARELO – Candia e Guiza.

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).