O Cruzeiro garantiu neste sábado a sua presença na final do Mundial de Clubes de Vôlei Masculino, ao ganhar a semifinal contra o UPCN, da Argentina, por 3 sets a 0 (25/22, 25/18 e 25/20). Assim, o time brasileiro vai buscar o inédito título neste domingo, quando enfrenta o Lokomotiv Novosibirsk, da Rússia, a partir das 16h10, no Ginásio Divino Braga, em Betim (MG).

É a segunda final seguida do Cruzeiro no Mundial de Clubes. No ano passado, no campeonato realizado em Doha, no Catar, perdeu para o Trentino, da Itália. Agora, jogando em casa, com o apoio da torcida, o time mineiro tem a chance de conquistar um título inédito para o vôlei masculino do Brasil – antes, o melhor resultado foi o vice-campeonato do Banespa em 1990 e 1991.

Curiosamente, os dois finalistas já se enfrentaram nesta edição do Mundial. Foi ainda pela primeira fase do campeonato, quando caíram no mesmo grupo. No jogo da última quinta-feira, o Lokomotiv Novosibirsk levou a melhor sobre o Cruzeiro, ao ganhar por 3 sets a 2 (22/25, 25/21, 22/25, 25/19 e 16/14), o que fez com que terminasse na liderança da chave.

Por isso mesmo, a decisão deste domingo contra o time russo tem um sabor de revanche para os jogadores do Cruzeiro. E é ainda mais especial para alguns deles que fazem parte da seleção brasileira, como o oposto Wallace e o levantador William Arjona, já que a Rússia derrotou o Brasil nas finais da Liga Mundial, em julho, e da Olimpíada de Londres, no ano passado.

“Ficamos mordidos com a derrota que a gente teve contra eles (na quinta-feira). Eu vou entrar engasgado. Já são duas finais que eu perco para eles (na seleção). Não estou a fim de perder a terceira”, avisou Wallace. “Estou engasgado. Tem que ganhar de qualquer jeito. É tudo ou nada. Final do Mundial, dentro de casa, vai ser demais”, completou William Arjona.

Neste sábado, mesmo jogando diante do time que teve melhor campanha na primeira fase do campeonato, o Cruzeiro conseguiu uma vitória sem sustos sobre o UPCN. Destaque para Wallace, que terminou com 20 pontos. Na outra semifinal, disputada mais cedo, o Lokomotiv Novosibirsk eliminou o Trentino, atual tetracampeão mundial, ao fazer 3 sets a 1 (25/27, 25/21, 26/24 e 25/23).