Eliminado da Copa do Brasil pelo Goiás, o Atlético-MG também não foi bem na primeira partida da final do Campeonato Mineiro, neste domingo, na Arena Independência, ficando no empate em 1 a 1 com o América-MG. O técnico Cuca, porém, preferiu culpar a arbitragem de Francisco Carlos do Nascimento.

Isso porque o lance do gol do América-MG, aos 49 minutos do segundo tempo, nasceu de um escanteio inexistente. Pará cobrou córner da direita, rasteiro, e acertou o pé da trave. Em seguida, a bola saiu. O árbitro, porém, viu, erradamente, um desvio de Rever, que estava colado no primeiro pau. Desta segunda cobrança é que saiu o gol de Bruno Meneghel.

“Foi tiro de meta. A bola bateu na rede pelo lado de fora e foi dado escanteio, no minuto 49, escanteio que gerou o gol. Saímos inconformados porque era um jogo em que a vitória estava assegurada e, infelizmente, houve esse erro da arbitragem que acabou nos tirando a vitória”, disse o treinador.

Na análise de Cuca, o time sentiu o cansaço por ter entrado em campo na quinta-feira, na eliminação contra o Goiás na Copa do Brasil. “Foi um jogo bom, em sua grande parte, e que não foi muito bem jogado tecnicamente em alguns momentos, onde prevaleceu a entrega e a disposição. A equipe jogou bem em cima do que ela pôde, em cima do que ela tinha de desgaste. Ficou um gosto amargo no final, sem dúvida, porque você tinha a vitória nas mãos e ela é lhe tirada de uma forma ilegal.”