O técnico Cuca deixou o Canindé no último domingo com mais uma preocupação. Depois de ver alguns jogadores se machucarem no confronto diante do Internacional, na última quinta-feira, o treinador agora lamentou uma lesão sofrida por Réver, líder da zaga e capitão da equipe, logo no início do jogo no qual a Portuguesa venceu por 2 a 0, pela 35.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Após o confronto, o treinador disse que a saída do defensor pesou muito para a equipe atleticana, que já havia entrado em campo desfalcada de outros jogadores. “Influenciou em tudo (no resultado a lesão de Réver), porque algumas ideias a gente tinha em colocar em prática e ir sentindo. Os três zagueiros não tinham jogado juntos ainda e era uma boa pedida ver o Emerson, Leo (Silva) e o Réver. Seria uma boa observar isso. Pusemos o Junior Cesar para dar ritmo e aumentar a disputa com o Lucas na lateral. Erramos muitos passes e não jogamos bem. A Portuguesa mereceu vencer”, admitiu.

Réver sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e ficou menos de um minuto em campo diante da Lusa por causa da lesão, que agora gera preocupação antes da disputa do Mundial de Clubes da Fifa, marcado para o próximo mês, no Marrocos. O atleta deverá passar por exames nesta segunda-feira, quando o departamento médico do Atlético-MG poderá estabelecer um tempo previsto de afastamento do jogador dos gramados.

Já ao comentar como encarou essa derrota atleticana, Cuca também enfatizou que não teria como cobrar “força de conjunto” de uma equipe “tão mexida” por causa dos desfalques. No próximo sábado, quando não deverá ter Réver à disposição, o Atlético-MG pegará o Goiás, às 21 horas, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 36.ª rodada do Brasileirão.