Divulgação
24 equipes de 4 estados participam do Brasileiro de Rugby de Sete.

Curitiba será sede neste fim de semana um dos mais importantes torneios de rugby do Brasil. Amanhã e domingo acontece a 4.ª etapa do Circuito Brasileiro de Rugby de Sete, que promete fazer o Tarumã tremer com muita disputa e correria atrás da bola oval.

Vinte equipes de quatro estados brasileiros irão participar: 12 na categoria adulto, quatro na juvenil (sub-19) e quatro na feminina. Além do Curitiba Rugby Clube, times de São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro estarão em campo. Londrina e Guarapuava representam o interior do Paraná.

O torneio marcará a inauguração do campo oficial do Campus Avançado da Paraná Esportes, no Tarumã. Com iluminação, quadras auxiliares, vestiários e restaurantes, é uma das mais completas estruturas para a prática do rugby no Brasil.

O rugby de sete é uma variação do esporte cada vez mais popular no país. Ao invés das equipes de 15 jogadores do rugby tradicional, os times são formados por sete pessoas. Outra diferença é o tempo de jogo, que cai de 80 para 14 minutos.

?As regras são as mesmas, assim como o campo, o que dá uma dinâmica maior ao jogo. Os jogadores têm que ser mais rápidos e ágeis e a força passa a ser menos importante?, diz Aluísio Dutra, presidente do Curitiba Rugby Clube (CRC), que organiza o evento.

Segundo Dutra, o principal desafio dos paranaenses é superar o time de São José dos Campos (SP). Atual campeão no sete e no tradicional, o time é base da seleção brasileira e favorito para faturar mais uma etapa do circuito.

Olímpico

Incluída no programa dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (2009), e pleiteando uma vaga nas Olimpíadas de Londres (2012), a modalidade tem ganho uma atenção cada vez maior da Associação Brasileira de Rugby. Pela primeira vez, organizou um circuito brasileiro, que está sendo disputado desde o ano passado e já passou por São José dos Campos (SP), Niterói (RJ) e São Paulo.

No último domingo, as seleções brasileiras masculina e feminina disputaram o Sul-Americano, no Uruguai. As mulheres foram campeãs e garantiram um lugar na Copa do Mundo, que será disputada em Dubai, nos Emirados Árabes, em 2019. No masculino, a Argentina, potência da América do Sul, ficou com o título.

Pegou a bola com a mão e saiu correndo

O rugby pode não ser muito popular no Brasil, mas certamente se sente em casa por aqui. Afinal, é irmão de sangue do futebol, com quem compartilha as mesmas origens.

Segundo a tradição, o rugby surgiu na Inglaterra, em 1823. Irritado com a monotonia de uma partida de futebol que insistia em não sair do 0 a 0, o estudante William Webb Ellis teria pego a bola com as mãos e corrido em direção ao gol, provocando a ira dos colegas, que tentavam para-lo de qualquer maneira.

Porém, essa versão sobrevive mais como uma espécie de lenda. Na verdade, várias formas de jogos com bola eram praticados pela Europa no século 19. As mais populares se tornaram duas dissidências do que um dia foi o mesmo esporte: o football rugby e o football association, mais tarde chamados somente de rugby e futebol.

No Brasil, os dois jogos chegaram juntos e tiveram os mesmos introdutores: Charles Miller, em São Paulo, e Oscar Cox, no Rio de Janeiro. Eles iniciaram a prática do rugby paralelamente à do futebol, nos anos 1890.