O técnico Dado Cavalcanti vê um Paraná Clube fortalecido após a aura de incerteza que tomou conta do Tricolor depois do empate contra o Palmeiras. Além das projeções pouco animadoras, a equipe conviveu com a possibilidade de saída de seu treinador. “Foi um erro não ter conversado com vocês (jornalistas) logo após a partida”, reconheceu o técnico. “Não pedi demissão. Apenas queria conversar com toda a diretoria, deixando-os à vontade para criar um fato novo nesta reta final”, completou.

Dado confessou que abriria mão da multa prevista em contrato, caso a diretoria optasse por uma troca. “Desde o primeiro momento, ouvi que não era essa a intenção e que eles nem tinham um plano B”, explicou o técnico. “Também recebi vários telefonemas e mensagens de atletas, inclusive alguns que até foram preteridos nos jogos mais recentes. Talvez por uma via que eu não imaginava, o fato novo para esta reta final foi criado”, comentou. “O Paraná está fortalecido para essas cinco decisões que teremos pela frente”, reforça.

Dado Cavalcanti lembrou que, ao longo da Série B, recebeu vários convites de clubes das Séries A e B. “Em alguns, com o primeiro salário seria possível pagar duas vezes a multa contratual. O que me fez ficar não foi o dinheiro, mas a ambição de concluir esse projeto e fechar o ano com o Paraná na Primeira Divisão”, afirma. Apesar de todo o impacto do empate frente ao Palmeiras – com a equipe sofrendo o gol decisivo nos últimos minutos -, Dado preferiu, mais uma vez, lançar um olhar otimista sobre a situação do Tricolor. “Perdemos uma posição, mas encurtamos em um ponto a distância para o G4”, destacou.

A coletiva de Dado Cavalcanti, ontem, teve apenas um objetivo: cessar qualquer especulação sobre uma eventual mudança no comando técnico do Paraná. “Ouvi, no sábado, que eu já estava acertado com outro clube. Isso nunca existiu e o torcedor pode ter certeza que todo o foco está voltado para um único objetivo: o acesso”, disse. “A competição está muito equilibrada e todos estão oscilando. A goleada que o Avaí sofreu exemplifica bem o que é essa competição”, analisou.

O treinador acredita que a visível queda de rendimento no returno foi circunstancial e que ainda é possível reagir. “Temos cometido alguns erros parecidos, mesmo com peças diferentes. Precisamos primeiro corrigir algumas questões individualmente, com muita conversa”, disse Dado. “A partir daí, trabalhamos por uma vitória para recuperar a confiança. Até bem pouco tempo atrás, o torcedor ia para o estádio com a certeza de que veria uma vitória do Paraná. Agora, não se tem essa certeza. Hoje, vou dar mais importância ao individual, para só então pensar no coletivo. Talvez assim voltemos a vencer e reconquistemos a confiança necessária”, arrematou.