A espera acabou e o atacante Dagoberto pode voltar a vestir a camisa do Atlético já no domingo contra o Galo Maringá, às 17h, na Kyocera Arena. Se depender dele, a camisa 11 já tem dono. Como quem manda é o técnico Lothar Matthäus, o treinamento de hoje deve definir se o ídolo da torcida rubro-negra começa jogando ou fica no banco de reservas. Ontem, ele marcou o único gol da vitória entre os reservas do Furacão contra os reservas do Joinville, no CT do Caju.

?Meu pensamento é jogar, mas vai da cabeça dele e ele tem um time também e não adianta precipitar as coisas?, ponderou o atacante. Presença destacada no trabalho de ontem, Dagoberto revela

que o alemão queria ver como ele se comportaria. ?Esse primeiro treino que ele queria ver já deu para ter uma noção também, eu estou muito feliz de poder fazer coisas que há muito tempo eu não fazia e agora é questão de tempo para eu jogar?, comemorou.

Contra os catarinenses, Dago mostrou que voltou com força total. Além de atuar na frente e levar perigo ao gol do JEC, ele se revezou com Pezzolano na criação no meio-de-campo, voltando para buscar a bola. E foi dele o lance do único gol dos primeiros 50 minutos, quando estava em campo a segunda equipe do Furacão. Ele invadiu a área e foi derrubado. O árbitro marcou pênalti, que o próprio atacante cobrou com categoria e marcou.

?O jogo-treino foi muito bom, depois de um longo tempo buscando um condicionamento deu para ver que estou muito bem fortalecido, me sinto bem e, agora, é com o Lothar?, ressaltou. Segundo ele, as condições do trabalho foram muito boas para se ter uma idéia do que o espera em partidas oficiais. ?Estava um pouco quente, mas deu para correr bem, me movimentar bastante, fazer algumas jogadas legais e buscando a cada dia melhorar?, analisou.

Com tudo isso, só falta o aval do comandante alemão para Dago voltar a pisar no gramado da Baixada com a camisa rubro-negra. E com o apoio da galera, apesar de ter sido pivô de um briga entre a diretoria e a Massa Sports, que o representa. ?Saíram coisas de algumas pessoas que querem se promover, mas a torcida do Atlético me conhece e sabe que eu vou retribuir dentro de campo aquele carinho e tomara que eles possam fazer aquelas coisas maravilhosas que sempre fizeram?, opinou.

Com os dirigentes, as conversas, segundo ele, continuam em compasso de espera. ?Vamos esperar. Meu pensamento primeiro é jogar e aí sentar e conversar?, finalizou. No ano passado, Dagoberto atuou somente em oito jogos. Marcou um gol e levou um cartão vermelho. Se for relacionado para a partida, o atacante estreará no Brasil a nova chuteira da Nike, batizada de Mercurial Vapor III.

Matthäus vai armar time no 3-5-2 contra o Galo Maringá

?O primeiro tempo contra o Cianorte não mereceu ser chamado de futebol.? Mais direto, impossível. Foi desse jeito que o técnico Lothar Matthäus analisou o primeiro jogo que assitiu do Atlético na Kyocera Arena. Mesmo assim, ele destacou a recuperação na etapa final e deve fazer algumas mudanças para a partida de domingo contra o Galo Maringá, às 17h, também em casa. Hoje, estão programados trabalhos em dois períodos no CT do Caju.

?O segundo tempo melhorou sensivelmente e o que foi visto já é um exemplo de como eu devo mexer na equipe?, adiantou Matthäus. Entre essas mudanças deverá constar o esquema tático adotado. Tanto no segundo tempo contra o Leão do Vale do Ivaí como no trabalho dos reservas, ontem à tarde, ficou clara a disposição de se usar o 3-5-2. Com ele, os alas ganham mais liberdade para atacar e a defesa fica menos vulnerável aos contra-ataques.

Contra o Joinville treinaram Cléber; João Leonardo, Bruno Lança e Juninho; Ney Santos, Cristian, Rodriguinho, Pezzolano e Ivan; Dagoberto e Rodrigão. Desses, a tendência é que Dagoberto possa ganhar uma oportunidade como titular, em relação àqueles que atuaram na quarta. A outra novidade poderá ser o retorno do lateral-esquerdo Michel Bastos, que ainda sente uma lesão na tíbia. Se treinar hoje, vai para a partida. O possível time para domingo pode ter Tiago Cardoso; Danilo, Paulo André e Erandir; Jancarlos, Alan Bahia, Adriano, Ferreira e Michel Bastos (Moreno); Dagoberto e Dênis Marques.

Retornos

O meia Fabrício participou da segunda parte do trabalho de ontem contra a equipe do Joinville e mostrou estar totalmente recuperado. Assim, ele já é outro atleta à disposição de Lothar Matthäus. Já o também meia Evandro, ainda se recupera de uma pubalgia, e prevê a volta aos treinos com bola na próxima semana. Enquanto isso, o atacante Pedro Oldoni está em ritmo de pré-temporada. Após disputar a Copa São Paulo e sofrer uma lesão no joelho esquerdo, ele está fazendo trabalhos físicos e dentro de dez dias deverá se integrar ao elenco principal do Atlético.