Daniele Hypólito representa o Brasil em campeonatos mundiais de ginástica artística há dez anos. Mas, desta vez, ela está fora do Mundial de Londres, que será realizado entre os dias 13 e 18 de outubro. Seu nome não apareceu na lista anunciada nesta sexta-feira pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), que aponta os dez ginastas que vão competir na Inglaterra.

Aos 25 anos, sendo 20 deles dedicados à ginástica, Daniele foi cortada porque ainda se recupera de contusão na coxa. Ficou chateada com a decisão da CBG, mas aceitou a renovação da seleção feminina. Todas contundidas, Daiane dos Santos, Laís Souza e Jade Barbosa também não foram chamadas para o Mundial de Londres.

“Por mais que eu seja macaca velha, não é fácil ficar fora de um evento como esse. Passei meu aniversário (no último dia 8) muito triste”, disse Daniele, que fez história no Campeonato Mundial de 2001: conquistou a primeira medalha da ginástica artísticas brasileira em mundiais – foi prata nos exercícios de solo.

Daniele, no entanto, apoiou o processo de renovação da equipe feminina do Brasil. “É uma coisa normal. As meninas precisam passar por um teste de fogo, para ganhar experiência”, comentou a ginasta. “Posso fazer mais pela ginástica, mas já fiz o meu papel”.

Ela também lamentou o ano “conturbado”. “Tive muitas lesões, perdi três patrocínios e o contrato com o Flamengo. Só a Caixa (Caixa Econômica Federal) renovou”, contou. Fora do Mundial, Daniele mira principalmente a disputa das últimas etapas da Copa do Mundo de Ginástica neste ano, em Osijek (Croácia) e em Stuttgart (Alemanha). “Estou na briga para ir aos Jogos de Londres, em 2012”.

Na seleção masculina não houve nenhuma novidade na convocação. Irmão de Daniele, Diego Hypólito vai em busca do tricampeonato mundial no solo e é o grande astro da delegação. Além dele, a equipe terá Victor Rosa, Mosiah Rodrigues, Caio Costa, Arthur Zanetti, Sérgio Sasaki, Khiuani Dias, Ethiene Franco, Bruna Leal e Priscila Cobello.