Cristiano Avalos volta para
reforçar a zaga paranista.

Acompanhe o jogo on-line

Mobilização total. O Paraná Clube encara o Botafogo – às 20h30, no Pinheirão – num jogo decisivo. Quem perder entra em um caminho que pode ser considerado sem volta, rumo à segunda divisão.

O Tricolor aposta na sua eficiência dentro de casa para computar a oitava vitória e ficar a apenas três pontos (ou quatro, segundo os matemáticos) da permanência na Série A. O encontro terá um duelo à parte, entre dois velhos companheiros. Caio Junior e Ivo Wortmann se enfrentam pela primeira vez desde que a “dobradinha” foi desfeita, há um ano.

O técnico paranista preferiu não antecipar a formação que iniciará o jogo. Testou duas alternativas, com três zagueiros e três atacantes, e só vai anunciar a equipe após analisar com maior profundidade o adversário. Caio Júnior tomou todas as precauções e preparou variantes que podem ser aplicadas caso seu rival adote algum posicionamento alternativo. “Sei que o Ivo tem como característica ousar quando necessário. Foi assim que ele se destacou no Coritiba e não podemos ser surpreendidos”, analisou. Mesmo precisando dos três pontos, o Tricolor não adotará nenhuma tática “kamikase”.

Afinal, o time chega para esta decisão ainda marcado pela goleada em Goiânia. A necessidade de vitória não pode ser confundida com irresponsabilidade tática. Muito pelo contrário. A tendência é a volta do 3-5-2, que não foi utilizado no jogo passado devido às ausências de Cristiano Ávalos e Roberto, suspensos. Os dois zagueiros retornam e devem ter Fábio Luís como companheiro de setor. Ele participou de todo o apronto de ontem, em substituição a Weligton, que foi expulso e cumpre a automática. Esta, aliás, foi uma preocupação da comissão técnica.

Caio Júnior conversou com o grupo e ressaltou a importância de não se expor a cartões. “Tivemos uma sobrecarga muito grande ao jogar com um jogador a menos contra Juventude e Goiás. Evitar expulsões é um grande caminho para que confirmemos mais um resultado positivo”, acredita Caio. Caso parta para uma formação mais ofensiva, ele escalará Waldir no ataque, para a saída de Fábio Luís. O treinador confirmou a permanência de Cris, agora como titular da lateral-direita.

No ataque, o Paraná terá mais uma vez a sua dupla de artilheiros: Maurílio e Márcio. Eles marcaram 23 dos 32 gols da equipe no Brasileirão. Márcio comemorou ontem 22 anos e ao término do treinamento foi “brindado” com a tradicional “chuva de ovos e farinha”. O artilheiro espera comemorar o aniversário com gols e com uma vitória para livrar o Tricolor da degola. “Estou vivendo um momento especial e se o gol acontecer, farei algumas homenagens”, avisou. Márcio e os jogadores contam com o apoio da torcida para garantir um resultado positivo hoje à noite.

Galera intimada a lotar o Pinheirão

A campanha é pouco animadora e o clube não conta com tantos ídolos como outrora. Mas, no jogo de hoje, o torcedor paranista pode fazer a diferença. Historicamente, em momentos difíceis, os públicos em jogos do Paraná Clube têm sido decepcionantes. Há tempos o time não sabe o que é participar de um jogo com “casa cheia”. O último público realmente expressivo ocorreu há mais de três anos, quando o Tricolor decidiu a Copa Sul-Brasileira com o Grêmio, no Pinheirão.

Último colocado em média de público no Brasileirão do ano passado, o Paraná ocupa hoje a 22.ª colocação (computados jogos até a 22ª rodada), com apenas 3.712 torcedores/jogo. Está à frente apenas de Botafogo, Portuguesa, São Caetano e Gama. Pior que isso, dos dez piores públicos do campeonato, três são do Tricolor: contra Gama (982), Guarani (1.012) e Vitória (1.582). “Precisamos do apoio do torcedor e, principalmente, que ele tenha o mesmo comportamento do jogo contra o Juventude, nos apoiando do início ao fim”, comentou o capitão Maurílio.

Os preços dos ingressos são os mesmos da última jornada em casa, com arquibancada custando R$ 5,00 (mulheres, menores, sócios e estudantes pagam R$ 3,00). Cadeiras estão sendo vendidas a R$ 20,00 (sócios, mulheres e menores, R$ 10,00) e setor Pai e Filho, R$ 5,00. Quem comprar o ingresso até às 16 horas, em todas as secretarias do clube – Capanema, Tarumã, Kennedy e Boqueirão – ainda concorre a vários prêmios, entre eles uma TV 20″.

Botafogo conta com Ademílson

O clima no Botafogo não poderia ser pior. No último treino antes do jogo os torcedores atiraram em campo milho e bonecas de plástico, insinuando que os jogadores estão “pipocando” nos jogos.

Para mudar esta situação e ganhar a confiança dos torcedores, o técnico Ivo Wortmann conta com a volta do atacante Ademílson, liberado pelo departamento médico. Com isso Lúcio foi barrado. Ademílson terá Rodrigão como seu companheiro de ataque. Na zaga Sandro, machucado, e Odvan, suspenso, ficam de fora. Dessa forma o trio de zagueiros para este confronto – Gilmar, Cleberson e Allan – jogará junto pela primeira vez.

A grande preocupação dos alvinegros é neutralizar a jogada áerea do Paraná. Ivo Wortmann conversou com os jogadores de marcação sobre isso. O treinador foi ouvido pelos atletas, tanto que o meia Galeano pediu muito cuidado com o atacante Márcio.