Paulo Fonseca / Futura Press
Festa tricolor e tristeza atleticana. Gol de Neguete, o da vitória.

O Paraná Clube confirmou a recuperação no Campeonato Brasileiro e passou pelo Atlético/MG por 1 a 0, ontem, no Mineirão. Numa noite de Flávio, pelas defesas decisivas, e do iluminado estreante Neguete, o Tricolor cozinhou o Galo e volta para Curitiba com três pontos na bagagem. Com o resultado, o time da Vila subiu para a sexta colocação e mantém o bom desempenho atuando como equipe visitante. O próximo compromisso na competição será o Fluminense, às 16h de sábado, no Pinheirão.

Após o período de turbulência na chegada do técnico Luiz Carlos Barbieri, o Paraná Clube foi para Belo Horizonte com o objetivo de consolidar a recuperação na competição após duas vitórias e um empate. Diante do desesperado e desfalcado Galo, a ordem era não dar mole para quem está na zona de rebaixamento. Mesmo sem três titulares (Marcos, Pierre e Borges), a disposição tática mostrava um Tricolor com mais interesse na vitória, enquanto os mineiros entraram em campo com três volantes e um meia adaptado na frente.

É claro que tudo poderia ter mudado com o pênalti desperdiçado por Rodrigo Fabri. Num momento de perna-de-pau, Aderaldo acertou um pontapé no próprio Fabri pelas costas dentro da área. Na primeira cobrança, Flávio se adiantou e a arbitragem mandou repetir a cobrança. Da segunda vez, o Pantera se adiantou de novo e defendeu, mas o árbitro mandou seguir o baile. Melhor para o Paraná, que foi para cima do Atlético.

O time de Barbieri passou a dominar a partida e o gol era questão de tempo. Do tempo certo para o estreante Neguete subir mais que todo mundo e cabecear para o fundo da rede. Perdendo, o retranqueiro Marco Aurélio trocou um volante por mais um atacante e o Galo passou a ter o domínio, mas sem a qualidade e a tranqüilidade necessária para chegar com perigo ao gol de Flávio. Quando chegou, o Pantera fez a sua parte e salvou a meta.

E foi justamente o arqueiro tricolor o responsável por assegurar mais uma vitória fora de casa. Apesar da correria do Atlético e da artilharia pesada no segundo tempo, Flávio fez a diferença, pegando quase tudo. Até quando a defesa falhava, o goleiro estava lá. Uéslei, Rubens Cardoso e Leandro Castan tentaram, mas pararam no Pantera. Só faltou o Tricolor encaixar um bom contra-ataque e liquidar o jogo. Mesmo assim, os jogadores comemoraram mais uma vitória.

Hoje, os jogadores ganham folga. Amanhã, os trabalhos recomeçam na Vila Capanema. Para a partida contra o Fluminense, Barbieri não poderá contar com o goleiro Flávio e o zagueiro Aderaldo, suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Em compensação, o treinador terá as voltas de Marcos, Pierre e Borges.

Barbieri diz que faltou paciência

A filosofia ?pés no chão?, pregada pelo técnico Luiz Carlos Barbieri, deu certo mais uma vez, mas não pensem que ele ficou totalmente satisfeito com a equipe do Paraná na vitória sobre o Atlético/MG. Para o treinador, é preciso ter mais paciência e tranqüilidade para definir os jogos sem passar o sufoco que o time levou na segunda etapa. Mesmo assim, ele elogiou os jogadores e já começa a pensar no Fluminense, o próximo adversário.

?No segundo tempo, se a equipe tivesse mais paciência para dar o passe para um companheiro melhor localizado ou fazer uma finalização melhor a gente teria feito 2 a 0?, apontou Barbieri. Para ele, faltou encaixar melhor os contra-ataques para matar a partida. ?Mas, eu acho que alguns jogadores sentiram o ritmo do jogo de sábado, o lado emocional e nós estamos chegando numa reta final de campeonato e manter o nível não é fácil?, ponderou.

No entanto, o treinador sabe que as dificuldades estão sempre surgindo e o mais importante foi a vitória. ?Temos que pensar de adversário em adversário. Acabou o jogo aqui, após a reza, a primeira coisa que eu falei para eles: o Atlético já faz parte do passado. Não fizemos uma noite brilhante, mas conseguimos o resultado e nosso pensamento agora é o Fluminense?, destacou.

Já o goleiro Flávio apontou que o time voltou a subir no Campeonato Brasileiro e deve incomodar ainda mais os ponteiros. ?A expectativa agora é só de subida e chegar ao nosso objetivo maior, que é ficar entre os primeiros?, disse.

CAMPEONATO BRASILEIRO
30.º Rodada
Local: Mineirão (Belo Horizonte)
Árbitro: Jamir Carlos Garcez (DF)
Assistentes: Ênio Ferreira de Carvalho (DF) e Eremílson Xavier Macedo (DF)
Gol: Neguete aos 16 do 1.º tempo
Cartão amarelo: Flávio, Aderaldo, Éder, Neguete, Leandro Castan, George, Amaral, Beto, Neto
Expulsão: Marquinhos
Renda: R$ 57.482,50
Público: 10.797

Atlético/MG 0 x 1 Paraná

Atlético/MG
Bruno; George (Edílson), Marquinhos, Leandro Castan e Rubens Cardoso; Amaral, Rafael Miranda, Vinícius (Catanha) e Fábio Baiano (Pablo Gimenez); Rodrigo Fabri e Uéslei.
Técnico: Marco Aurélio Moreira

Paraná
Flávio; Daniel Marques, Aderaldo e Neguete; Neto, Rafael Muçamba, Mário César (Thiago Neves), Éder (Beto) e Edinho; André Dias e Sandro (Fernando Gaúcho). Técnico: Luiz Carlos Barbiéri