Euler Junior/Estado de Minas
Ex-técnico do Cruzeiro já teria acertado as bases salariais com Vialle e só aguarda uma definição do time paulista pra decidir seu futuro.

O nome de Vanderlei Luxemburgo pode ser decisivo na definição do novo técnico do Coritiba. Não há a menor possibilidade de o ex-treinador da seleção brasileira, que deixou ontem o comando do, vir para o Alto da Glória. Mas seus próximos passos podem definir o futuro do nome favorito para assumir o comando do Coxa.

O coordenador de futebol do Cori, João Carlos Vialle, já conversou com Dorival Júnior e teria acertado as bases para a contratação do ex-técnico do Cruzeiro. Porém, o treinador também estaria apalavrado com o Palmeiras, que negocia com Luxemburgo. Se o Verdão paulista fechar com Luxa, Dorival deve pintar no Couto Pereira.

Vialle confirmou ontem os contatos com Dorival Júnior. ?Ele é a minha primeira opção. Estamos conversando e ele pediu para eu aguardar até essa definição com o Palmeiras. Mas é muito difícil que ele não acerte com eles?, acredita o diretor coxa-branca.

Mas apesar do ceticismo de Vialle, a vinda do treinador pode se concretizar. Ontem, a imprensa paulista tratava como questão de tempo um acordo entre Luxemburgo e o Palmeiras, o que deixaria Dorival livre para fechar com o Coxa. Isso se ele não for procurado pelo Santos, que está sem treinador desde ontem e também negocia com Emerson Leão.

Por isso, Vialle garante que tem um plano ?B?. ?Já tenho uma segunda opção. Conversamos hoje à tarde. É um treinador jovem, de primeiro nível do futebol brasileiro. Pretendo acertar com ele até o final de semana e divulgar na segunda-feira?, afirma.

O problema é que qualquer decisão vai depender da eleição de domingo. Vialle disputa a presidência com Jair Cirino dos Santos e Domingos Moro, candidatos de oposição que têm suas próprias preferências para o cargo.

Se Moro for o vencedor do pleito, ganha força o nome de Paulo César Carpegiani. Ele é amigo pessoal de Almir Zanchi, cotado para assumir a direção do futebol alviverde em caso de vitória de Moro.

Com uma vitória de Jair Cirino, o favorito passa a ser Edu Coimbra, que trabalha com o irmão Zico no Fenerbahçe, da Turquia. Edu tem boa relação com Edison Mauad, apontado como o homem forte do futebol na chapa de Cirino.

Promessas

João Carlos Vialle guardou uma ?bomba? para a reta final da campanha. Ontem, ele garantiu que já acertou a contratação do meia Tcheco. O jogador atuaria na Arábia Saudita até o meio de 2008, quando viria disputar o Brasileirão pelo Coxa. Tcheco estava no Grêmio, mas terá que retornar ao Al-Ittihad, com quem tem contrato até julho. Outro ?famoso? que poderia desembarcar no Alto da Glória é o lateral-esquerdo Athirson, ex-Flamengo e seleção brasileira.

Couto com portões abertos pra galera

O Couto Pereira estará aberto para a torcida na estréia do Coritiba na Copa do Brasil. Ao contrário do que informou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na última quarta-feira, o Coxa não deve nenhum mando de campo à Justiça Desportiva. Assim, o time poderá contar com a força da galera na largada do torneio, que é prioridade em 2008.

O Coritiba vai enfrentar a Tuna Luso (PA) na primeira fase da Copa do Brasil. O primeiro jogo será no dia 13 de fevereiro, em Belém. A partida de volta está marcada para o dia 27 seguinte, no Couto Pereira. Segundo a tabela divulgada pela CBF na quarta-feira, o Coxa teria que cumprir nesse jogo uma pena de perda de mando de campo, devido a uma punição aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e jogar com os portões fechados.

No dia 19 de abril de 2007, pela Copa do Brasil, o Coxa foi derrotado por 1 a 0 pelo Botafogo, no Couto. Na ocasião, o árbitro Elvécio Zequetto (MS) relatou em súmula o arremesso de dois copos contra o banco de reservas da equipe carioca, o que levou o clube a ser denunciado ao STJD.

Em primeira instância, o Coritiba foi condenado com a perda de um mando de campo e multado em R$ 10 mil, com base no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (STJD). O julgamento foi no dia 2 de maio, na Terceira Comissão Disciplinar do STJD.

Porém, o Coxa recorreu da decisão e acabou absolvido pelo Tribunal Pleno, no dia 31 de maio. A decisão pode ser conferida na página do STJD na internet, mas foi ignorada na tabela divulgada na última quarta-feira.

?Talvez a CBF não tenha sido informada. Já tomamos todas as medidas necessárias para corrigir esse equívoco. Não há absolutamente nenhuma possibilidade de o Coritiba jogar com os portões fechados?, garante o advogado Fernando Barrionuevo.

Se vencer o primeiro jogo contra a Tuna Luso, em Belém, por uma vantagem de dois ou mais gols, o Coxa garante a classificação sem disputar a partida de volta. O próximo adversário sai do confronto entre o São Caetano (SP) contra um representante do Maranhão, ainda indefinido.

Duas temporadas seguidas na Segundona derrubam Coritiba no ranking da CBF

A queda do Coritiba foi a única alteração entre os 20 primeiros colocados do ranking da CBF divulgado ontem pela entidade já com os resultados de 2007. Embora tenha cedido o 14.º lugar para o Goiás, o Coxa ainda é o melhor time paranaense na lista.

Com os 40 pontos somados pelo título da Série B, o Coxa chegou a 1.365 no ranking. Já o Goiás, 16.º da Série A, fez 45 pontos e ficou com 2 a mais que o time coritibano.

Entre os demais paranaenses, o Atlético aproximou-se do Bahia, mas segue em 19.º; e o Paraná, rebaixado à Série B, continua em 23.º. O líder ainda é o Grêmio, seguido por Corinthians, Vasco, Flamengo e São Paulo.

O ranking é elaborado com base nos resultados de todas as divisões do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil. Os critérios, porém, são tão discutíveis que a própria CBF já reconheceu suas falhas. Como exemplos, a mínima diferença entre a pontuação do campeão (60) e do vice (59) e o pequeno bônus ao campeão da Copa do Brasil (30 pontos), equivalente à 11.º colocação da Série B. Times com participações constantes na Libertadores, como o São Paulo, são prejudicados por não poderem somar pontos na Copa do Brasil.

No ranking por estados, o Paraná manteve a 5.ª posição, bem atrás de Minas Gerais e bem à frente de Pernambuco.

A lista tem uma importância prática: é critério para definir os 10 participantes da Copa do Brasil que não se classificaram através dos estaduais. Também com base no ranking, a CBF distribui as vagas na Copa do Brasil às Federações. Os cinco primeiros estados têm direito a três vagas automáticas.