Foto: Walter Alves
cfc090308.jpg

Keirrison marcou dois gols hoje e é artilheiro ao lado de Marcelo Ramos.

Terminou neste domingo a primeira fase do Campeonato Paranaense. E pode-se dizer que já vai tarde. Ano após ano, o nosso campeontato regional vai ficando cada vez mais menos interessante e deficitário. Culpa da nossa Federação Paranaense de Futebol, que anda envolvida até o pescoço com diversos escândalos, cria regras absurdas e deixa o certame inchado com clubes que mal dariam para disputar uma suburbana.

Foto: Fábio Alexandre
iratyxatl090308_1.jpg

Michel garantiu a vitória do rubro-negro contra o Iraty.

Maior destaque desta primeira fase, o Atlético conseguiu superar o mar de mediocridade da competição e conquistou, com méritos, a primeira colocação, que veio por meio de uma campanha irretocável, em que o rubro-negro, que neste domingo venceu o Iraty por 1 a 0, fora de casa, com um gol do lateral Michel, terminou de forma invicta, vencendo 14 jogos e empatando apenas um. Todavia, resta ver como será o comportamento do rubro-negro, pois a precoce eliminação da Copa do Brasil diante do inexpressivo Corinthians de Alagoas deixou seus torcedores com as barbas de molho.

O Coritiba, maior vencedor da competição, teve um início pífio, culpa do pouco tempo que a nova diretoria do alviverde teve para montar uma equipe. Mesmo com o decorrer da competição e o fato de ter perdido os dois clássicos locais, o time não engrenava e o técnico Dorival Júnior teve seu trabalho questionado pela sua grande torcida. Porém, com trabalho e pés no chão, o Coritiba foi superando seus limites, aplicou goleadas seguidas e há oito jogos, incluindo a vitória deste domingo por 2 a 0, contra o Iguaçu, no Couto Pereira, gols de Keirrison, que é o artilheiro da competição ao lado de Marcelo Ramos do Atlético, não sabe o que é tomar gol e vem com moral para a segunda fase.

Pior início que o do Coxa, só mesmo o do tricolor da Vila. No período em que o técnico Saulo de Freitas esteve no comando do Paraná, o clube chegou a freqüentar a zona de rebaixamento, piorando ainda mais a situação paranista, que ano passado fora rebaixado para a série B do Brasileiro. Para sorte da torcida tricolor, sua diretoria agiu rápido e trouxe um velho conhecido para o comando técnico: Paulo Bonamigo. Logo no primeiro jogo de Bona como técnico do tricolor, um desafio difícil: clássico diante do Coxa. Porém, Bonamigo estreou com o pé direito e venceu aquele jogo. Ele permanecia invicto no comando técnico, mas neste domingo ele viu sua primeira derrota, diante do Engenheiro Beltrão, por 3 a 1.

Clubes tradicionais do interior do Paraná, como Londrina, Rio Branco e Paranavaí, que é o atual campeão paranaense, decepcionaram seus torcedores e deram adeus à competição. O caso do Leão da Estradinha foi ainda pior, pois o segundo clube mais velho do futebol paranaense quase foi rebaixado para a segunda divisão. Certamente, a fanática torcida parnanguara merecia um time a altura de sua paixão pelo futebol.

Mesmo com o fim da primeira fase, resta saber quem são os rebaixados. Portugesa e Iguaçu foram os que menos pontuaram, todavia o "time-cigano" Real Brasil, que jogou com um atleta irregular, deve perder 12 pontos e ocupar a vaga do Iguaçu. Em um campeonato mais sério – ou pelo menos melhor organizado – isso não aconteceria, porém a FPF anda tão sem crédito que isso é apenas um mero reflexo de um campeonato desorganizado e deficitário organizado por esta instituição. Esperamos dias melhores para os próximos mandantes da FPF.

Como fica

Agora que o joio foi separado do trigo, vamos aos confrontos. O grupo A será composto por Atlético, Iraty, Paraná e Engenheiro Beltrão. O grupo B tem Coritiba, Toledo, J. Malucelli e Adap Galo. As equipes de cada grupo jogam entre si, em turno e returno. Os dois melhores vão para as semifinais.

Os primeiros jogos desta fase do Paranaense serão os seguitnes:

Grupo A

Atético x Engenheiro Beltrão
Iraty x Paraná

Grupo B

Coritiba x Adap Galo
Toledo x J. Malucelli