Em seu reencontro com a imprensa, ontem, em Extrema, o atacante Deivid transmitiu uma imagem que não condiz com seu espírito debochado. Envergonhado por não ter cumprido a promessa de marcar dois gols contra o Fluminense, na semifinais, na quarta-feira passada, e outros dois na partida contra o Santos, no domingo, o atacante ignorou a reportagem da Agência Estado quando o assunto foi abordado.

Sua preocupação parecia ser outra. Cercado por várias crianças não se mostrou constrangido ao demonstrar seu objetivo principal: deixar claro o ódio e esquentar ainda mais o bate-boca com o meia santista Diego, acusado por Renato de tê-lo chamado de “macaco”.

Garantindo não ser de briga, Deivid no entanto lembrou o passado recente de Diego para dar sustentação às suas palavras.

“Se tivesse arrumado confusão apenas com o Renato, ficaria uma dúvida no ar em relação ao que estou dizendo. Mas basta pegar o seu histórico neste campeonato para se ter uma idéia do que realmente ocorre. Ele brigou com o Fábio Simplício depois de marcar um gol e pisar no símbolo do São Paulo. E já havia xingado o Kléber (lateral do Corinthians) em uma partida anterior.”

Péssimo comportamento

O atacante reiterou que o comportamento do meia não é condizente com o de um profissional de um time grande como o Santos. “Ele tem a mania de ficar rindo da cara dos outros. Mas o recado a ele já foi mandado.”

Em seguida, pediu que as perguntas fossem direcionadas para outro foco. “Estamos em Extrema em busca de energia positiva e certamente retornaremos mais motivados para entrar em campo. “Se tivéssemos rendido pelo menos 10% do que somos capazes, o resultado teria sido outro.”