O técnico Edgardo Bauza se despediu da seleção da Argentina dizendo que acredita totalmente na classificação da equipe para a Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia. Ele foi demitido na última segunda-feira por causa da má campanha nas Eliminatórias, mas definiu o curto período de trabalho – 250 dias (pouco mais de oito meses) – como uma “experiência maravilhosa” e agradeceu a oportunidade.

“Eu acredito que a Argentina vai se classificar para a Copa”, disse Edgardo Bauza, nesta terça-feira, em Buenos Aires. A seleção do craque Lionel Messi está em quinto lugar na tabela de classificação, o que lhe daria, se as Eliminatórias tivessem chegado ao fim neste momento, apenas o direito de disputar a repescagem.

Edgardo Bauza foi demitido após uma conversa com o novo presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), Claudio Tapia. A pressão por sua saída, de parte da torcida e da quase totalidade da imprensa, era grande e a situação ficou insustentável após a derrota por 2 a 0 para a Bolívia, em La Paz, na última rodada das Eliminatórias.

O treinador, no entanto, deu a entender não ter mágoas. “Dirigir a seleção foi uma experiência maravilhosa. Eu agradeço ao presidente Claudio Tapia porque foi muito franco na hora de conversar. Quero agradecer aos jogadores, temos que valorizar o sacrifício que este grupo faz. Foram oito meses muito bons, que me deixam muito feliz”, afirmou.

Claudio Tapia está buscando um substituto para Edgardo Bauza. O preferido é Jorge Sampaoli, atualmente treinando o Sevilla, na Espanha. Ele disse que aceita o cargo, desde que lhe seja oferecido um contrato até o fim da Copa do Mundo de 2022, no Catar.