Goiano quer jogar contra o Maringá.

O técnico Caio Júnior era só sorrisos na tarde de ontem. Assim como no rosto dos atletas, o alívio após a conquista da primeira vitória no campeonato era flagrante. Mesmo que tenha consciência de que ainda tem muito a ser feito, o treinador fez questão de ressaltar o esforço da garotada da Vila. “Os meninos estão entrando na fogueira e estão respondendo à altura. É uma prova de que o nosso planejamento começa a dar resultado”, disse.

De fato, na partida contra o União Bandeirante, os jogadores revelados nas categorias de base do clube mostraram segurança. Especialmente o jovem Willian, de 19 anos. Com a contusão do titular da ala direita, Jéferson, Caio Júnior optou por improvisá-lo na posição e o garoto se destacou como o melhor atleta em campo. Apesar da posição de origem de Willian ser volante, ele tem tirado de letra o deslocamento para outras funções. “No ano passado, nos juniores, estava jogando de meia. Quando estreei no profissional (no empate em 1 a 1 contra o Grêmio), joguei na direita. E na estréia no estadual, joguei de volante”, explica com naturalidade.

Como o lateral Jéferson deve ficar de fora por pelo menos mais dez dias – ele se recupera de uma lesão na panturrilha, Willian vai ter a oportunidade de lutar com maior liberdade por seu espaço. “É lamentável que minha chance tenha vindo com a contusão de um companheiro. Mas tenho que fazer o meu papel e render o máximo que eu puder para ajudar o Paraná. A vitória deu um certo alívio, mas não tirou o peso das nossas costas. Ainda tem muita luta pela frente”, concluiu.

Goiano empolgado com sua volta a Maringá

O volante Goiano só saberá se vestirá a camisa titular do Paraná na partida contra o Maringá, no domingo, após o coletivo da tarde de hoje, no Pinheirão. Com a supensão de Émerson, que levou o terceiro amarelo na última rodada, Goiano passa a brigar por uma vaga na meia defensiva paranista com Fernando Miguel, recuperado de uma amigdalite.

No entanto, a possibilidade de enfrentar o time no qual teve a primeira chance profissional o deixa empolgado. “Vamos esperar o posicionamento do treinador. Mas estou muito animado com a chance de voltar a jogar no Willie Davids. Afinal, foi lá onde dei os primeiros chutes como profissional”, relembra. Em 2001, Goiano e mais 12 jogadores do Tricolor, recém promovidos das categorias de base, seguiram para o interior, numa parceria entre os presidentes Ênio Ribeiro e Aristides Mossambani. “Das dezoito partidas da campanha do título da A1, participei de 14. Foi uma ótima experiência. Era o autêntico coringa e acabei me tornando um atleta mais versátil”, explicou.

Dois anos após a conquista, a realidade é outra. O Grêmio de Maringá hoje é administrado pelo empresário Aurélio Almeida e o time está muito mudado. “Daquela campanha, não restou ninguém. Mas a torcida não mudou. O povo de Maringá adora futebol e a torcida deve comparecer em peso no domingo. Só que desta vez ela estará contra minha equipe”, destacou Goiano.

Apesar da consciência da grande pressão que o Tricolor vai sofrer em Maringá, Goiano acredita que a equipe vai superar todas as adversidades. “Essa primeira vitória foi importantíssima para o grupo. Eu, que estava suspenso, acompanhei pelo rádio e sofri um monte. Quando acabou o jogo, foi aquele alívio, uma injeção de ânimo”.

Exame

O zagueiro Cristiano Ávalos, com problemas no joelho, seria submetido ontem a exames detalhados. Há suspeita de lesão no menisco.

DM

Além de Cristiano e Jéferson, quem também está no DM é Marquinhos, com um entorse no tornozelo. No entanto, a presença do meia contra o Maringá está praticamente assegurada.

Hungria

O meia Róbson, revelado nas categorias de base do Tricolor, acertou ontem com o Haladás Futball, time que disputa a segunda divisão do futebol húngaro. O acerto é de um ano e meio.