A diretoria do Vitória decidiu na tarde desta quinta-feira que o treinador Ricardo Silva – que havia sido afastado do time há um mês para dar lugar a Toninho Cecílio, demitido nesta quinta – será o técnico da equipe baiana até que o substituto de Cecílio seja contratado.

Silva, que foi tirado do comando do time após a derrota na final da Copa do Brasil para o Santos, não foi demitido do clube, do qual ainda é empregado. À época, o presidente do Vitória, Alexi Portela, declarou que Silva estava “saindo de férias”. Como as “férias” do treinador encerraram-se nesta quinta, ele volta ao clube na sexta e viaja com o time para a

partida contra o Flamengo, no sábado, no Rio.

Quem comemorou a demissão de Toninho Cecílio foi o lateral-esquerdo Egídio, com quem o antigo técnico teve uma discussão durante um treino, na semana passada, flagrada por equipes de TV que acompanhavam os trabalhos. “Foi uma vitória pessoal”, considerou o jogador, que foi barrado por Cecílio da partida desta quarta, contra o Palmeiras, que terminou empatada por 1 a 1. Egídio, porém, tampouco poderá jogar contra o Flamengo, desta vez por motivo contratual – seus direitos econômicos pertencem ao clube carioca.