Uma das mais tristes derrotas do futebol brasileiro completa nesta quinta 25 anos. No dia 5 de julho de 1982, uma seleção brasileira praticamente imbatível enfrentou a Itália e precisava apenas de um empate para avançar às semifinais da Copa do Mundo da Espanha para lutar por um título que não vinha desde 1970. Mas o Brasil perdeu por 3 a 2 – com três gols do carrasco Paolo Rossi -, para surpresa do mundo inteiro, e marcou aquela amarga derrota na memória dos torcedores.

"Voltem tranqüilos para o Brasil. Vocês jogaram o melhor futebol da Copa, e o mundo inteiro aplaudiu o nosso time", foram as palavras ditas pelo técnico da seleção, Telê Santana, logo após a eliminação brasileira no Mundial de 82. Essas frases serviram apenas para aliviar um pouco a dor e a frustração da queda de um time com uma campanha irrepreensível, recheado de craques.

Antes da eliminação, o Brasil deu show nos gramados espanhóis. Na primeira fase, em Sevilha, três exibições de gala contra União Soviética (2 a 1), Escócia (4 a 1) e Nova Zelândia (4 a 0). Zico, Sócrates, Toninho Cerezo, Falcão, Oscar, Júnior, Éder e Serginho Chulapa mostravam um futebol refinado, que fazia com que todos se encantassem durante os jogos brasileiros.

A seleção comandada por Telê Santana foi para Barcelona, onde teria pela frente Argentina e Itália nas quartas-de-final. No primeiro jogo da chave, os italianos surpreenderam e bateram os argentinos, que tinham Diego Maradona em seu primeiro Mundial, por 2 a 1. Na seqüência, foi a vez de os brasileiros ganharem dos maiores rivais na América do Sul – 3 a 1, com gols de Zico, Júnior e Serginho Chulapa.

Por ter melhor saldo de gols, o Brasil entrou em campo contra a Itália com a vantagem do empate. A seleção italiana fazia má campanha e ainda estava em greve de silêncio com a imprensa do país, que criticava ferozmente o futebol da equipe. Por isso, a classificação brasileira parecia uma mera formalidade, mas os três gols de Paolo Rossi quebraram o encanto.

O Estádio Sarriá não existe mais, foi demolido, em 1998, para pagar dívidas do Espanyol.