Dois dias antes do segundo jogo-teste da Arena da Baixada, marcado para quarta-feira, às 19h30, no amistoso entre Atlético e Corinthians, serão revelados hoje os detalhes minuciosos do modus operandi do evento, que pode ser o último que o estádio atleticano vai receber antes da Copa do Mundo, no mês que vem. Uma reunião entre representantes do Governo do Estado, da Prefeitura de Curitiba, do Atlético e do Comitê Organizador Local (COL) vai definir como vai acontecer a parte operacional da partida e principalmente como vão funcionar os bloqueios e como será feita a segurança na área externa do Joaquim Américo.

Segundo o secretário municipal da Copa do Mundo, Reginaldo Cordeiro, o bloqueio no jogo-teste entre Atlético e Corinthians não deve acontecer como nos dias dos jogos do Mundial e servirá mais para a orientação dos moradores e comerciantes da região, e de torcedores que vão ao remodelado e ampliado Joaquim Américo no Mundial.

“Na verdade nós vamos tentar colocar os locais de bloqueio parciais para que a população que mora ou trabalha no entorno do estádio fique preparada. Na área de restrição e nos pontos de bloqueio adotados nos dias das partidas, as pessoas não terão nenhum impedimento, mas tudo vai acontecer em um ritmo mais lento. O intuito será realmente informar as áreas bloqueadas nos dias das partidas da Copa do Mundo em Curitiba”, detalhou Cordeiro.

Ainda segundo o representante municipal do Mundial em Curitiba, todas as áreas do estádio, que agora vai receber 30 mil pessoas – vinte mil a mais do que no jogo-teste realizado no final de março -, serão testadas. “Será testado tudo. O gramado mais uma vez, agora com a grama de inverno, a iluminação que não foi testada, os vestiários em um estágio mais avançado, a circulação dentro e fora da Arena, agora com 30 mil pessoas, a área de imprensa, que mesmo ainda em condições precárias, terá condição de visualização do jogo, mas não estão com os acessos concluídos. Enfim, temos a expectativa que tudo será feito com um grande sucesso’, explicou.

Cordeiro destacou ainda que não haverá divisão de torcida. “Na Copa do Mundo não está previsto divisão de torcida. A torcida do Corinthians é bem-vinda e o espaço será compartilhado dentro do estádio neste jogo-teste”, informou.

Para que o jogo de quarta não seja o último a ser realizado e para que a Arena da Baixada vá para o período de exclusividade da Fifa, no dia 22, sem ter recebido uma partida com a capacidade total de 43 mil pessoas, será preciso um aumento no ritmo de trabalho. “A princípio existe o interesse de acontecer um novo teste com a capacidade total, mas temos que saber se teremos condições para isso. Se até o dia 21 houver condições da conclusão total da Arena, será realizado, se não este será o último jogo-teste antes da Copa”, admitiu Cordeiro.

Quase lá

A parte interna da Arena da Baixada está muito próxima de ser concluída. Pouco mais de 30 mil cadeiras já foram colocadas. Apenas alguns assentos na parte inferior dos setores Madre Maria e Buenos Aires, e toda a parte superior do setor Brasílio Itiberê estão com esta frente de trabalho inacabada. A proximidade do banco de reservas com o público, que seria corrigido em relação ao primeiro jogo-teste do estádio, no final de março, ainda não foi modificada.

Com a instalação da nova grama de inverno, o campo de jogo ainda não foi pintado para receber o duelo entre Atlético e Corinthians. Porém, a área mais crítica dentro do estádio é na parte aonde será colocada a imprensa, no setor superior da Brasílio Itiberê. O local deve ser concluído só após o dia 22 de maio, quando as chaves da Arena da Baixad,a serão entregues para a Fifa e, por isso, a participação da imprensa no evento-teste ainda não está assegurada.