Os prefeitos das 18 capitais brasileiras que querem sediar a Copa do Mundo de 2014 vão receber, no dia 4 de abril, um diagnóstico que mostra onde elas estão preparadas para o evento e o que falta para que possam receber turistas. Os governadores também vão receber o estudo, segundo informou a ministra do Turismo, Marta Suplicy, em entrevista, por telefone, de Xangai, na China, à Agência Brasil.

Segundo a ministra, a cidade poderá, então, começar seu planejamento, tanto hoteleiro quanto de qualificação das pessoas. "Não é função do ministério construir hotel, mas é função dele dizer que tal cidade, se for escolhida como sede, comporta seis hotéis cinco estrelas, mas dois deles não terão sustentabilidade após o término da Copa. Então, dois terão que ser construídos já como apartamentos?, explicou. Apenas dez das 18 cidades candidatas a sediar jogos da Copa serão escolhidas.

Situações como essa permitirão que o ministério do Turismo se organize quando procurar investidores estrangeiros, disse Marta. ?Quando a gente for vender lá fora, e isso o ministério tem que organizar, for procurar os investidores para esses hotéis, já tem que levar o diagnóstico do que cada cidade precisa e comporta.?

De acordo com a ministra, o modelo de estruturação do setor hoteleiro no Brasil pode ser inspirado no que a China construiu para equipar as cidades para as Olimpíadas de Pequim, neste ano.

?Podemos fazer como os chineses fizeram aqui: a captação foi com investidores estrangeiros, em parceria com empresários chineses. Isso tudo temos que ver com outros ministérios como vai ser feito. Planejar é a palavra-chave?, afirmou.

A ministra disse que os chineses fazem a licitação da arquitetura, os recursos são privados e estrangeiros ? em algumas partes o governo entra também, mas varia de construção para construção. "Os grandes prédios de competição ficam em seis universidades e vão ser absorvidos por elas", acrescentou.