O técnico interino Claudinei Oliveira corre o risco de cair se o Santos não ganhar da Portuguesa, neste sábado, a partir das 18h30, na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Brasileirão. Após o empate em casa contra o Crac (GO), na última quarta-feira, que ameaçou a permanência do clube na Copa do Brasil, os dirigentes santistas não falam mais em efetivação do treinador que assumiu após a demissão de Muricy Ramalho no final de maio.

Principal dirigente santista, enquanto o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro está afastado por licença médica, o vice-presidente Odílio Rodrigues promete que Claudinei Oliveira será o primeiro a saber se o Santos decidir pela contratação de um novo treinador e que, se chegar alguém para o cargo, ele será mantido na futura comissão técnica.

Após as duas vitórias seguidas, diante do Atlético-MG na Vila Belmiro (antes da paralisação do Brasileirão) e do São Paulo no Morumbi, Claudinei Oliveira ficou fortalecido no cargo. Mas a sua situação sofreu uma reviravolta com o empate e a má atuação do time contra o Crac, lanterninha do Grupo B do Campeonato Brasileiro da Série C.

“Pressão é da profissão. Se eu não quisesse passar por isso, não teria escolhido a carreira”, disse Claudinei Oliveira, na entrevista coletiva de sexta-feira. “Essa situação é normal. Se o resultado vem, você é melhor do mundo. E se o time perde, você não serve mais. Mas eu me considero um vencedor, quero ir mais longe e, então, tenho de olhar pra frente.”

Se dependesse da vontade da maioria dos integrantes do Comitê Gestor, que administra o futebol santista, os argentinos Marcelo Bielsa ou Gerardo Martino teriam assumido o Santos logo em seguida à demissão de Muricy. Mas os dois treinadores deram a mesma desculpa para recusar o convite para o cargo: só aceitam começar no início da próxima temporada.

A opção agora é Ney Franco, que o Santos tentou tirar da CBF (era o coordenador das seleções de base) antes de levar Muricy para a Vila Belmiro e que acaba de ser demitido pelo São Paulo. Como ele está livre no mercado, passa a ser a maior ameaça para a efetivação de Claudinei Oliveira no comando santista. Mas o interino pode ganhar sobrevida se conseguir a vitória neste sábado.

O time para enfrentar a Portuguesa terá duas mudanças: o capitão Edu Dracena, recuperado da tendinite no joelho direito, volta à zaga, enquanto o volante Alan Santos substitui Arouca, que sofreu lesão no músculo posterior da coxa esquerda. O meia argentino Montillo, com o olho esquerdo inchado, foi poupado do treino de sexta-feira, mas vai jogar.