Diego Costa poderia estar disputando com Fred ou Hulk um posto na equipe titular da seleção do Brasil, mas preferiu jogar o Mundial pela Espanha, país onde fez carreira no futebol. Muitos brasileiros ainda não engoliram a decisão do atacante, nascido em Sergipe. Mesmo assim, ele garante, a recepção tem sido boa desde a chegada da delegação espanhola a Curitiba, domingo.

“Por enquanto as coisas vão bem. A pessoas estão me tratando da maneira como espero, mas pode ser que em algum momento não seja assim. Estou tranquilo. Tenho o apoio de bastante gente que entende o que aconteceu”, disse o atacante, nesta terça-feira, em entrevista coletiva no CT do Caju, casa dos espanhóis durante a primeira fase de Copa.

O jogador do Atlético de Madrid garante que está seguro da decisão que tomou. Afinal, recebeu o apoio das pessoas mais próximas. “Meus pais estão muito felizes, porque agora estou mais perto dele. Não muda nada. Eles me apoiaram na decisão que tomei”, garante Diego Costa.

Sobre a Copa em si, disse que a ansiedade é “normal” para a estreia diante da Holanda, sexta-feira, em Salvador. “Começamos contra uma seleção muito grande e boa. Treinamos todos os dias para melhorar e estar em boa forma. Tomara que e competição comece o quanto antes.”