A esperança do México de se classificar em primeiro lugar do Grupo A do Mundial é repetir na terça-feira da próxima semana o que fez na decisão do ouro do futebol na Olimpíada de Londres, há dois anos, em Wembley, quando parou Neymar e derrotou o Brasil por 2 a 1. Dez dos 23 jogadores da seleção mexicana atual estavam lá e também Hector González, que já era diretor de seleções. Embora considere o Brasil a grande força da Copa, ele não acha impossível que isso aconteça.

“O Brasil joga em casa e é o favorito para ganhar o Mundial, mas sempre conseguimos bons resultados nesse confronto. Com certeza será um grande partida. Estamos motivando os jogadores e vamos trabalhar muito para que isso aconteça, mas, sinceramente, esse grupo só tem um lugar, que vai ser disputado com Croácia e Camarões” disse o dirigente mexicano.

A sugestão do dirigente para impedir que Neymar desequilibre o jogo é destacar pelos menos dois jogadores para vigiá-lo de perto. “Eu não sou o técnico, mas creio que é preciso estar muito concentrado e ter os jogadores pensando muito rápido, porque o Neyamr desequilibra, é inteligente, técnico e um dos melhores do mundo. Então, precisamos ter sempre um homem na marcação e um ou dois cobertura”, recomendou.

O México faz nesta quarta-feira o terceiro treino fechado no CT Rei Pelé, em Santos. Depois, embarca para Natal, onde fará sua estreia na Copa, sexta, contra Camarões.