Depois começar a semana com reclamações sobre salários atrasados e possibilidade de greve entre jogadores e funcionários, o Paraná está passando por uma maratona de reuniões entre seus diretores.

Como saldo, promessas de pagamento, mudanças na diretoria e possibilidade de novas baixas entre os cartolas do clube. Para evitar desgastes, a diretoria disse aos jogadores e funcionários que vai pagar grande parte das dívidas até amanhã – data do jogo contra o Corinthians-PR.

O resto do montante seria quitado até o dia 10 de fevereiro, restando apenas a dúvida entre os jogadores contratados em 2010 – com pagamento de salários oficialmente programados para sexta-feira.

O presidente do Tricolor, Aquilino Romani, foi procurado durante a tarde de ontem para comentar de onde sairiam os recursos da salvação momentânea do time da Vila. Por telefone, ele apenas respondeu: “Estou em reunião na Kennedy (sede social do Paraná) e não tenho horário pra terminá-la”.

Rifa

Hoje à noite, a diretoria deve lançar uma nova versão do Show de Prêmios e exigir que cada um dos 400 conselheiros comprem uma cota de R$ 1 mil. Com este dinheiro, o clube espera quitar parte dos débitos que tem com funcionários e jogadores.

Mudanças

Na noite de segunda-feira também houve reuniões, quando Romani e o conselho diretor remanejaram dois diretores de seus postos.

Márcio Villela, ex-vice-presidente de planejamento, agora ocupa o mesmo posto no Marketing.

No seu lugar entra o também presidente do conselho de obras do Paraná, Erivelto Luiz Silveira.

Perguntado sobre o convite do presidente, Erivelto explicou que o voto de confiança veio com a participação recente em projetos de captação de recursos no Tricolor.

“Eu já estava trabalhando junto. Há 15 dias, eu negociei um convênio com os servidores do Estado do Paraná, com objetivo de ampliar o quadro social do clube”, disse.

Outra possível mudança que pode ocorrer na Vila Capanema está relacionada com a saída do ex-presidente e atual vice-presidente administrativo Aurival Correia. Um suposto desgaste de sua relação com o atual mandachuva, Aquilino Romani, seria a razão da nova baixa. Os dois foram procurados, mas não houve confirmação do “racha”.

Renda extra: Plano B

Quem também tinha uma reunião marcada com a diretoria na noite de ontem era o vice-presidente jurídico do Tricolor, Juarez Bortoli. Após o São Paulo negociar o zagueiro André Dias com a Lazio, por 2,5 milhões de euros (R$ 6,5 milhões), o Paraná vai analisar a documentação do atleta para saber se pode receber futuramente alguma quantia pela sua formação. André Dias jogou no Paraná entre 1999 e 2000, sendo o Tricolor da Vila seu primeiro clube profissional.