No ano passado, 79% dos clubes brasileiros tiveram suas dívidas aumentadas, segundo levantamento da Casual Auditores. O crescimento, muitas vezes, não se deve à contração de novas dívidas, mas à dificuldade dos clubes de quitar seus passivos, o que, consequentemente, resulta em atraso e em autos de infração, atualização por correções e juros altíssimos que dificultam os pagamentos futuros.

Com isso, os clubes têm recorrido cada vez mais à captação de empréstimos bancários. Tanto é que no ano passado, a busca de recursos no sistema financeiro aumentou 57% por parte dos clubes.

Coincidentemente, no ano passado as ações cíveis e trabalhistas dos clubes cresceram 43%, o que demonstra que o endividamento se tornou uma bola de neve no futebol brasileiro.