O sérvio Novak Djokovic sofreu nesta segunda-feira, mas conseguiu superar o australiano Lleyton Hewitt, ex-número 1 do mundo, por 3 sets a 1, com parciais de 7/5, 6/4, 3/6 e 6/4, em quase três horas de partida. A vitória deixou o atual número 3 do mundo nas quartas de final de Wimbledon.

Djokovic chegou a abrir 2 sets a 0, mas vacilou na terceira parcial e deixou o adversário crescer no jogo. No início do set, o sérvio apresentou dores no abdômen e precisou de atendimento médico. Motivado, Hewitt ameaçou impor uma boa reação no quarto set, mas sucumbiu aos próprios erros e ao bom aproveitamento do rival nas bolas vencedoras.

Nas quartas de final, o número 3 do ranking terá pela frente o vencedor do duelo entre o americano Andy Roddick, vice-campeão em 2009, e Yen-Hsun Lu, de Taiwan, que se enfrentam ainda nesta segunda-feira.

Ainda pelas oitavas de final, o checo Tomas Berdych superou o alemão Daniel Brands por 3 a 1, parciais de 4/6, 7/6 (7/1), 7/5 e 6/3. Berdych será o próximo adversário do suíço Roger Federer, ex-número 1 do mundo. Federer tentará obter a revanche após ser eliminado pelo checo nas oitavas de final do Masters 1000 de Miami, no início de abril.

Em duelo francês, Jo-Wilfried Tsonga também garantiu vaga nas quartas de final ao derrotar Julien Benneteau por 3 sets a 1, com parciais de 6/1, 6/4, 3/6 e 6/1. Tsonga espera agora o vencedor do confronto entre o escocês Andy Murray e o americano Sam Querrey.