Ao obter a sua terceira vitória seguida sobre Roger Federer, o sérvio Novak Djokovic se garantiu neste sábado na final do Masters 1.000 de Indian Wells e, de quebra, tomou do adversário a vice-liderança do ranking mundial do tênis. Ele bateu o suíço por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 3/6 e 6/2, e irá enfrentar o espanhol Rafael Nadal neste domingo, no duelo que valerá o título, às 17 horas (de Brasília).

Essa derrota de Federer foi a terceira para Djokovic apenas neste ano. O novo vice-líder da ATP já havia superado o agora número 3 do mundo na semifinal do Aberto da Austrália e na decisão do Torneio de Dubai.

Além da causar a consequente mudança de posições no ranking, a série de triunfos mostra uma nova fase do retrospecto do confrontos entre os dois tenistas, já que o suíço ostenta uma vantagem de 13 vitórias contra 9 do sérvio, que foi superado em quatro dos cinco duelos que travou com ex-líder do ranking mundial no ano passado.

Com a passagem à final, Djokovic também confirmou o grande momento que vive. Campeão do Aberto da Austrália e do Torneio de Dubai, ele está invicto na temporada e acumulou neste sábado a sua 17.ª vitória no ano.

Na semifinal em Indian Wells, Djokovic aproveitou duas das quatro chances que teve de quebrar o saque de Federer no primeiro set para fechar a primeira parcial em 6/3. O suíço, porém, reagiu no segundo set, obtendo também duas quebras para devolver o 6/3. Já na parcial derradeira, o sérvio retomou o domínio no início, vencendo no serviço do rival e fazendo 2 a 0, mas o suíço reagiu rápido para igualar em 2 a 2. Porém, a reação parou por aí e Djokovic ganhou os quatro games seguintes para fechar em 6/2.

Poucas horas antes de o sérvio superar Federer, Nadal bateu o argentino Juan Martín del Potro por duplo 6/4 na outra semifinal. O espanhol leva grande vantagem no retrospecto contra Djokovic, com 16 vitórias e sete derrotas. No ano passado, Nadal levou a melhor sobre o adversário no ATP Finals de Londres e no US Open.