É um momento delicado para o Atlético. Depois de sete jogos sem perder, o Furacão foi derrotado pelo Fluminense na última rodada. Isso, por si só, não seria suficiente para preocupar o torcedor, visto que o desempenho do time na sequência invicta devolveu a confiança justamente pela consistência da equipe em campo. Mas a maneira com que o time se portou pôs o técnico Doriva a refletir sobre a manutenção do “jeito Atlético” de jogar.

No discurso, o time não deve alterar o sistema de jogo. “Ainda não decidimos o time, mas o esquema não vamos mudar. De repente estamos pensando em algumas alterações. Temos uns dias para decidir, treinar e ver se funciona. Ver se é adequado”, explicou Doriva, em áudio cedido pelo globoesporte.com.

Se não for o clássico 4-3-3, pode ser o 4-2-3-1. O esquema com dois atacantes abertos pelas pontas, com a total responsabilidade de ajudar na marcação, não é novidade. Aliás, essa é exigência de Doriva. Não há espaço no time do treinador atleticano para quem não se disponha a marcar. “Faremos uma mudança no meio campo, haja vista que no nosso time mesmo os atacantes de beirada exercem funções de meia. Todos são meias, menos o atacante de área. Todos os outros têm função de meio campo”, afirmou.

Paraná Online no Facebook