O gesto obsceno feito por Juninho Pernambucano durante o clássico diante do Flamengo, no empate por 1 a 1 do último domingo, ainda repercute no Vasco. Em entrevista coletiva nesta terça-feira, o técnico Dorival Júnior admitiu que o jogador deverá ser punido, disse que o próprio já se mostrou arrependido, mas pediu que a punição não “seja levada ao extremo”.

“Evito falar de alguma coisa mais concreta. Esperamos que as coisas aconteçam dentro da normalidade. Não se deve deixar de punir, mas não pode ser algo muito severo. Houve o erro por parte do jogador, mas nada que deva ser levado ao extremo. O próprio Juninho, depois de repensar a atitude, já se mostrou arrependido pelo que aconteceu”, disse o treinador.

Quando se preparava para uma cobrança de escanteio durante o clássico contra o Flamengo, Juninho foi flagrado imitando um gesto obsceno feito por uma das torcidas organizadas do clube, com os punhos cruzados e os dedos médios em riste. O procurador do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, admitiu que o jogador poderia ser punido pelo gesto.

Se pode ficar sem Juninho em algumas partidas do Brasileirão, caso o jogador seja punido, Dorival Júnior terá o desfalque certo de outro meia. Dakson rompeu o tendão do músculo adutor da coxa direita e pode não atuar mais no campeonato. Para o treinador, foi mais uma lesão ocasionada pela maratona de jogos a que são submetidos os times brasileiros.

“Todas as equipes estão tendo esse problema, de jogadores tendo lesões gravíssimas pela sequência de jogos, que penaliza todos. É esse número excessivo de jogos que vem proporcionando essa quantidade de lesões, e isso continuará acontecendo. Dessa rodada para frente podem esperar mais lesões”, apontou.