Se não bastasse a situação ruim que atravessam no Campeonato Brasileiro, Atlético e Coritiba podem ser punidos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelos incidentes ocorridos no clássico Atletiba de sábado, no Couto Pereira, vencido pelo time coxa-branca por 1×0. A procuradoria do STJD deve oferecer denúncia nos próximos dias e, se for a julgamento, a dupla pode ser penalizada com a perda de mandos de campo nesta reta final da competição nacional.

A denúncia deve ser oferecida pelo procurador do STJD, Paulo Schmitt, de acordo com o relatório da partida escrito pelo árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro. O juiz, que pertence ao quadro da Fifa, relatou o arremesso de rolos de papel higiênico no intervalo da partida em direção ao túnel de acesso dos jogadores do Atlético. Ribeiro frisou também que, após a partida, mais rolos de papel higiênico, sendo um deles em chamas, foram arremessados novamente ao acesso do time visitante. Entretanto, nos dois relatos o árbitro destaca que ninguém foi atingido.

A acusação mais grave, porém, deve cair sobre o Atlético. Ricardo Marques Ribeiro escreveu na súmula que duas bombas foram atiradas por torcedores do Furacão que estavam localizados na curva de fundos do Couto Pereira em direção aos policiais militares que realizavam a segurança do local.

“Observei duas bombas sendo atiradas por parte de torcedores do Atlético, reproduzindo grande estrondo, isto, em direção à Polícia Militar que se encontrava no anel superior fazendo o cordão de isolamento entre as torcidas. Cumpro relatar que tal informação foi constatada também pelo Primeiro Tenente Miguel, chefe do policiamento interno do estádio”, disse um trecho da súmula, que informou também que nenhum boletim de ocorrência foi entregue à equipe de arbitragem até o final da partida.

O procurador do STJD, Paulo Schmitt, afirmou que até quinta-feira a denúncia deverá ser formalizada pela entidade. “Já recebi as imagens da súmula e agora estou aguardando as imagens da partida para fazer a denúncia. Tenho que olhar com calma tudo para definir como será feita a denúncia. Acredito que na quinta-feira possamos fazer a denúncia”, explicou Schmitt, por telefone, ao Paraná Online.

Se forem a julgamento, a tendência é de que Atlético e Coritiba sejam julgados com base no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que pune os clubes que deixam de tomar providências para prevenir e reprimir desordem em sua praça; invasão de campo ou lançamento de objetos ao campo. Se forem condenados, Atlético e Coritiba podem ser penalizados com a perda de até dez mandos de campo e a multa pode chegar a R$ 100 mil.