Rio de Janeiro (Ag. Placar) – O britânico Bernie Ecclestone deixou sexta-feira de ser o "poderoso chefão" da Fórmula 1. Ele vendeu os direitos comerciais da categoria para o grupo europeu CVC Capital Partners. Ecclestone, que detinha 25% das ações, foi seguido pelo banco alemão BayernLB, que era proprietário de outros 50% das ações.

Desta forma, em uma só tacada a CVC passou a dominar 75% das ações da SLEC, empresa que controla os direitos comerciais da Fórmula 1. Porém, a CVC não pretende parar por aí e vai agora negociar com Lehman Brothers e JP Morgan para obter o controle total da categoria.

Bernie Ecclestone abandonou a Fórmula 1 justamente no momento em que cinco grandes construtores planejam organizar um campeonato paralelo a partir de 2008. Para isto, foi criada a Grand Prix Manufactures Association, que pretende obter uma gestão melhor da competição e também dividir melhor os lucros que ela gera.