Kobe, Japão

(AE) – O técnico Luiz Felipe Scolari ainda não confirmou, mas o zagueiro Edmílson, destaque do Brasil contra a Costa Rica, deve recuperar, contra a Bélgica, amanhã, pelas oitavas-de-final da Copa do Mundo, uma vaga no time titular. Anderson Polga iria para o banco de reservas. No coletivo de ontem, em Kobe, Edmílson treinou o tempo todo na equipe principal.

No meio do coletivo, Felipão ainda testou uma formação com Kléberson no lugar de Juninho Paulista. Roque Júnior, Roberto Carlos e Ronaldinho Gaúcho, que foram poupados na última partida, treinaram entre os titulares. Após amargar a reserva contra a China, Edmílson marcou um belo gol e teve uma atuação bastante elogiada diante da Costa Rica, atuando provisoriamente na vaga de Roque Júnior.

Os titulares treinaram com Marcos; Lúcio, Edmílson e Roque Júnior; Cafu, Gilberto Silva, Juninho Paulista (Kléberson) Ronaldinho Gaúcho e Roberto Carlos; Ronaldo e Rivaldo. O coletivo, em apenas um tempo, teve vitória dos titulares por 5 a 0, com dois gols de Rivaldo. Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Lúcio também deixaram sua marca.

O treino, o último de maior importância antes do decisivo jogo, teve ainda um trabalho específico para os zagueiros. Apesar de sempre rebater as críticas aos defensores de seu time, Felipão gritou muitos com os jogadores e pediu para que eles marcassem o adversário e não a bola nos cruzamentos para a grande área, com muitas bolas altas, uma das deficiêncais apresentadas pelos brasileiros nos últimos jogos.

Precavido, Felipão também treinou cobranças de pênalti, com a participação, inclusive, dos goleiros Marcos e Dida como cobradores. Nesta hora, o treinador zangou-se com um cinegrafista estrangeiro, que fazia imagens do treinamento. Contrariado, este pegou sua câmera e foi embora.

O treino de ontem começou com um forte sol e alta temperatura em Kobe. Nove jogadores chegaram ao local das atividades mais cedo para fazer exercícios de musculação (Lúcio, Roberto Carlos, Rivaldo, Gilberto Silva, Luizão, Ricardinho, Juninho Paulista, Denílson e Roque Júnior).

Hoje, a seleção brasileira fará um treino de reconhecimento do gramado do Kobe Wing Stadium, local da partida contra a Bélgica, previsto para as 18 horas locais. O jogo será na segunda-feira, às 8h30 de Brasília.

Cuidados

O meia-atacante Rivaldo acredita que os belgas jogarão totalmente recuados e apostarão em um erro dos brasileiros para conseguir a vitória. “Não podemos vacilar ou acabamos voltando para casa”, disse. O atleta do Barcelona prevê uma adversário com dez jogadores no campo defensivo e garante que a tranqüilidade para chegar ao gol deverá ser importante para os brasileiros.

O lateral-esquerdo Roberto Carlos também pede cuidado aos companheiros para evitar surpresas. “Imagino que teremos o adversário mais difícil da Copa até agora”, projeta. Roberto Carlos, recuperado de uma contusão muscular na panturrilha, garante estar com “110%” de sua capacidade física.

Para a Bélgica será um “prazer”

Shizuoka, Japão

(AE) – Os belgas poderiam estar com medo do Brasil. Antes do duelo das oitavas-de-final, porém, os europeus sentem, na verdade, é o prazer de enfrentar um rival tão importante. “Preocupado? Estou é feliz, porque são poucas as chances de jogar contra o Brasil num jogo decisivo de Copa”, responde o zagueiro Van Buyten, que terá a responsabilidade de, ao lado de seus companheiros, marcar Ronaldo, Rivaldo e companhia. “Será, sim, um privilégio para mim”, garante o zagueiro. Na Bélgica, ninguém quer ficar de fora de jogo tão nobre, caso do jovem atacante Wesley Sonck, que, nos três primeiros jogos do time, foi apenas uma opção para o segundo tempo. “Amaria jogar contra o Brasil e, por isso, quero ser titular neste jogo”, afirmou.