Foto: Valquir Aureliano

O atacante está totalmente recuperado e já se integrou ao restante do elenco nos treinos.

Depois de Ricardinho e Arlon, o Coritiba ganhou mais um ?reforço? para a reta final da Segundona. Não, não se trata de nenhuma contratação, mas um velho conhecido da galera alviverde. Antecipando as previsões iniciais, o atacante Edmílson calçou as chuteiras ontem e treinou normalmente com o restante do elenco no CT da Graciosa. Nada de muito forte, mas ele bateu na bola com vontade e se integrou ao restante do elenco. Liberado pelo departamento médico, ele só precisa retomar o condicionamento físico para voltar a jogar, o que deve acontecer no início do mês que vem.

?Ele completou ontem (segunda-feira) cinco meses da cirurgia (ligamento cruzado do joelho) e na nossa programação ele está liberado a partir de hoje (ontem) para trabalhos técnicos, com bola, campo reduzido, para simular todas as situações de jogo?, informa o médico Valmir Sampaio. Segundo o doutor, se correr tudo bem, em três semanas o jogador já poderá ser usado nos jogos pela Série B. ?Ele fez uma avaliação da força muscular e a musculatura está bem equilibrada. Do departamento médico ele está liberado e agora depende da readaptação técnica e dos treinamentos físicos?, avisa.

Se depender do técnico René Simões, Edmílson joga já no sábado. ?A determinação desse jogador, a forma como ele conduziu a recuperação, é digna de aplausos. Então, para nós, vai ser um reforço inestimável?, elogia o treinador. No entanto, apesar do incentivo, René quer que o atacante retome sua ?memória? muscular. ?Por enquanto, o que está gravado ali é que ele tem uma contusão, então, só ao entrar em campo, jogar, soltar é que vai mudar essa memória porque, por enquanto, o cérebro manda a mensagem que ele tem uma contusão?, aponta René.

Para Edmílson, esse problema não vai acontecer. ?Acho que o importante é ter confiança. Não posso achar que o problema vai aparecer de novo porque aí não voltaria a jogar nunca mais?, diz o atacante. Segundo ele, seus movimentos ainda serão avaliados, mas a expectativa é a melhor possível. ?Fui liberado praticamente hoje (ontem), mas já vinha mais forte desde a semana passada. Estou me sentindo muito bem e estou muito confiante e esperançoso?, destaca.

Keirrison pode voltar pro banco

Um gol e uma ótima apresentação contra o Remo não foram suficientes para Keirrison garantir um lugar na equipe do Coritiba. Como já é de praxe no trabalho do técnico René Simões, jogar fora de casa significa fortalecer o meio-de-campo e sacrificar um atacante. No trabalho de ontem, o K9 (ou K11 como na partida de sexta-feira) ficou no time de baixo para Ricardinho entrar entre os titulares ao lado de Hugo. No entanto, o próprio treinador avisa que não tem nada certo e vai esperar mais para decidir se o artilheiro da equipe na temporada continua ou volta para o banco.

?Vamos treinar e ver como fica melhor de acordo com as posições. Eu quero ter 11 atacantes. Quero que os alas saiam, que os volantes saiam muito rápido, que os zagueiros saiam como o Henrique saiu e como o Ânderson (Lima) saiu aqui (no treinamento)?, despista René. Para ele, o time precisa de uma marcação muito forte. ?Não podemos deixar que o adversário empurre a gente para trás?, aponta.

Assim, Ricardinho, se tiver regularizado na CBF e com condicionamento físico adequado, sai na frente de Keirrison para enfrentar o Brasiliense, às 16h de sábado na Boca do Jacaré. Além dessa possível alteração, Diogo deverá ser o ala-esquerda no lugar de Carlão, machucado. Isso abriria uma vaga na equipe, que seria preenchida por Ivo, que faria a função de ala-direita e deslocaria Ânderson Lima para a linha defensiva. Hoje, o time trabalha em dois períodos. Amanhã, René comanda um trabalho no Couto Pereira antes do embarque para Brasília.