Na derrota por 3 a 1 para o Cianorte na noite desta quinta-feira (30), no Albino Turbay, o Athletico caiu de rendimento no segundo tempo e o atacante Jáderson, improvisado na lateral, foi um dos mais criticados. Após a partida, o técnico da equipe de aspirantes, Eduardo Barros, defendeu o novo posicionamento do atleta.

Assista todos os gols da 4ª rodada do Paranaense; eleja o golaço da rodada!

“Ele tem totais características para fazer essa função, pois tem isso de vir arrastando a bola de trás para achar o melhor drible ou um movimento em profundidade. Ele precisa se adaptar em posicionamento, timing de marcação, na linha e isso só vai ser com jogos”, declarou o treinador em entrevista para as rádios Banda B e Transamérica.

TABELA: Veja a classificação e os próximos jogos do Paranaense

O atual camisa 6, nas categorias de base do Cruzeiro-RS e Furacão, se acostumou a jogar como atacante de beirada ou no meio. Barros, contudo, justifica que o atleta se destacou em uma Copa São Paulo de Futebol Júnior ao jogar de lateral agudo, como Renan Lodi, vendido ano passado ao Atlético de Madrid, da Espanha, por 20 milhões de euros.

“Ele está reagindo muito bem, é um grande jogador. O Jáderson é versátil e na Copinha foi comparado ao Lodi por ser lateral que vira ala, que atua como lateral e tem números de atacantes de beirada. Ele tem potencial para ter características parecidas, mas vai ter que lidar com críticas na carreira”, completou o comandante rubro-negro.

Jáderson admitiu que ainda não está confortável na função no time de aspirantes e precisa de mais jogos para melhorar. No domingo, contudo, o time principal vai a campo contra o Paraná, na Arena da Baixada.

“Infelizmente levamos dois gols pelo meu lado. Tem que treinar essa parte, porque não sou adaptado nessa posição”, admitiu o jogador.

+ Mais do Furacão

+ Cianorte 3×1 Athletico: Veja os gols da partida
+ Athletico é derrotado pelo Cianorte e perde invencibilidade no Estadual