Parece inacreditável, mas o lateral do Palmeiras, Egídio, repetiu Pelé no começo da noite deste domingo, no jogo contra a Chapecoense. O jogador do Alviverde, assim como o Rei do Futebol, foram expulsos de campo pelo árbitro e, já no vestiário, foram chamados para retornar a campo e continuar a partida.

Os casos não foram exatamente iguais. Egídio foi expulso após tirar a bola com um carrinho de William Barbio. Longe do lance, o juiz Jaílson Macedo Freitas entendeu que o palmeirense pegou na perna do jogador da Chapecoense e o expulsou. Após quatro minutos e meio de muita confusão, o quarto árbitro, Daniel Nobre Bins, avisou que o lateral havia pegado apenas na bola. Jaílson Freitas então reconheceu o erro, voltou atrás na decisão e pediu para que Egídio fosse chamado de volta à partida.

“Ele (William Barbio) adiantou e eu toquei na bola e depois eu toquei nele. A regra é clara, tocou na bola não é falta”, disse Egídio na saída do primeiro tempo da partida contra a Chapecoense. “Falei com ele (Jaílson de Freitas) que só fui cobrá-lo porque tinha certeza que toquei a bola, em um lance de expulsão de último homem. Ele falou que errou e voltou atrás e eu fui dar os parabéns por ter reconhecido o erro”, afirmou o palmeirense.

O quarto árbitro não tem acesso à tecnologia, mas o delegado da partida, Marco Antônio Martins, que fica próximo ao juiz auxiliar, tem. A demora teria sido devido a problemas de comunicação entre a arbitragem. A polêmica sobre o uso da tevê ganhou maior repercussão neste Campeonato Brasileiro marcado por diversos erros de arbitragem. A CBF inclusive briga para incluir a possibilidade de o juiz recorrer a vídeos no próximo ano para evitar a continuidade de erros.

Já Pelé não contou com auxílio do quarto árbitro para retornar, mas sim da torcida. O curioso lance aconteceu no Estádio El Campin, em Bogotá, na Colômbia, em 17 de julho de 1968. O Santos disputava um amistoso contra a seleção olímpica do país e demonstrava irritação com o juiz Guilhermo Velásquez. Após um gol irregular dos colombianos, Lima e Pelé reclamaram e foram expulsos, causando uma verdadeira revolta nas presentes no estádio, que não aceitavam a saída do craque santista da partida. A decisão do delegado do jogo foi então trocar o árbitro, colocando o auxiliar Omar Delgado para apitar o resto do jogo e chamar de volta Pelé.