O Atlético fez 2 x 1 sobre o Botafogo, ontem à noite, na Arena da Baixada, e conquistou a primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Em noite inspirada, o uruguaio Santiago “El Morro” García justificou o investimento (R$ 8 milhões) e fez os dois gols da partida. Como resultado, deixou o estádio aplaudido de pé pela torcida que, há 82 dias, não sabia o que era comemorar um triunfo.

Com a vitória, o Furacão repete a campanha de 2005, quando conseguiu a primeira vitória na competição apenas na 11.ª rodada. Naquele ano, o time chegou na sexta colocação ao final do campeonato. Situação que o elenco espera repetir, fazendo deste primeiro triunfo o passo inicial para a recuperação no Brasileirão e assim deixar não só a lanterna, mas a zona de rebaixamento o quanto antes.

Como não poderia deixar de ser, o jogo foi sofrido para o torcedor. No primeiro tempo, o Atlético ainda se manteve superior, mas depois da voltar do intervalo o Botafogo deu sufoco. Mandou bola na trave, Renan Rocha se destacou por boas defesas e, quando o Furacão abriu 2 x 0 no placar, o aperto foi ainda maior: aos 42, o Alvinegro diminuiu e a torcida ficou apreensiva.

Mas a noite era rubro-negra e Renan Rocha resumiu bem o sofrimento. “Eu fiz algumas defesas, mas é a maré que está virando, porque a bola deles bateu na trave ali também”, disse o goleiro, lembrando que até a rodada passada era o Furacão quem não conseguia fazer a bola entrar.

A noite de comemoração começou a se desenhar no 1.º tempo, mesmo em um jogo de pouca movimentação. Passados 30 minutos, o Botafogo parecia querer menos jogo ainda e o Atlético começou a produzir mais. Aos 39, do jeito que Renato Gaúcho “ensinou”, o Furacão fez boa troca de passes e abriu o placar com Santiago “El Morro” García. Kléberson cruzou para o uruguaio, que ainda ajeitou a bola antes de mandar para o gol de Jefferson: 1 x 0. A partir do gol, o Atlético e pressionou o Botafogo, com García, inspirado, ainda mandando uma bola na trave aos 44 minutos.

Na etapa final, “El Morro” seguiu impossível e aos 29 fez 2 x 0, aproveitando um passe de Marcinho. A torcida e os jogadores respiraram aliviados e quando o jogo se encaminhava para o final o Botafogo fez o gol de honra, com Alex, que aos 42. Na, porém, que impedisse a torcida atleticana de, finalmente, soltar o grito entalado há 11 rodadas.

Ficha Técnica

Série A – 1.º turno – 11.ª rodada

Atlético: Renan Rocha; Edílson, Gustavo, Fabrício e Paulinho; Deivid, Kléberson (Fransérgio, 26 do 2.º), Cléber Santana e Marcinho (Branquinho, 33 do 2.º); Madson e Santiago García (Edigar Junio, 42 do 2.º). Técnico: Renato Gaúcho

Botafogo: Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Felipe Menezes, 20 do 2.º); Marcelo Mattos, Renato, Léo (Somália, no intervalo) e Elkeson; Maicossuel e Alexandre Oliveira (Alex, 40 do 2.º). Técnico: Caio Júnior

Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Gols: Santiago García, 39 do 1.º e aos 29 do 2.º, Alex aos 42 do 2.º
Amarelos: Deivid, Gustavo, Fransérgio e Márcio Azevedo
Expulsões: Marcelo Mattos, 48 do 2.º
Público Pagante: 12.714
Público total: 14.009
Renda: R$ 206.510,00