Guga parece não ser mais o mesmo.

Sem conseguir mostrar o seu verdadeiro jogo numa quadra de saibro, Gustavo Kuerten caiu logo na sua estréia do Masters Series de Roma, diante do argentino Gaston Gaudio por 2 sets a 1, parciais de 6/3, 2/6 e 6/4, ontem. Esta é a terceira derrota de Guga, contra apenas duas vitórias nesta temporada européia de saibro, época do ano que sempre foi conhecida como seu “ganha-pão”. Desolado, o tenista anda em busca de explicações. “Estou pronto para jogar. Sinto que já cheguei no ponto, física e tecnicamente, mas está faltando alguma coisa no lado mental”, disse Guga. “Preciso de confiança, acreditar até o fim que posso ganhar.”

Guga sabe que nas quadras de saibro a paciência e a concentração são fundamentais. E estas são justamente as peças que estão faltando em seu jogo, como admitiu em Roma. “Está difícil lidar com a ansiedade. Cheguei há um mês na Europa com muitas esperanças, mas até agora o máximo que consegui foi uma quarta-de-final em Barcelona”, refletiu o tenista. “Só mesmo vitórias, bons resultados podem mudar esta parte mental. De resto é continuar treinando e esperar por melhor sorte dos dois próximos torneios.”

As chances de recuperação estão agora bem apertadas. Guga joga pressionado na próxima semana em Hamburgo, em outro torneio do Masters Series, e depois tem apenas uma semana até Roland Garros, competição que começou a encarar de maneira diferente. “Ganhar Roland Garros agora está fora da minha realidade, mas é claro que sempre tenho de manter uma esperança”, disse. “Se ganhar um ou dois bons jogos em Hamburgo, de repente tudo muda e posso ir para as finais.”

Duplas

Guga costuma se superar em momentos difíceis. Por isso, espera aproveitar sua participação na chave de duplas em Roma, jogando ao lado do inglês Tim Henman, justamente para manter-se no clima de um torneio e com motivação.

A saída de Guga em Roma foi um choque para os italianos. Depois da eliminação de Andre Agassi, campeão do ano passado, agora foi a vez de outro astro dizer adeus, o brasileiro campeão em 1999 e finalista em 2000 e 2001.