Victor Ribas será um dos
três do WCT 2004 a abrir
as disputas no Rosa.

O SuperSurf 2005 vai estrear um novo formato de competição na etapa de Imbituba (SC), onde será inaugurado o 19.º circuito brasileiro de surfe profissional nos próximos dias 20 a 24 de abril na Praia do Rosa, com transmissão inédita pela TV Globo/Sportv. Nesse ano, todas as baterias da categoria masculina passarão a ser homem-a-homem, fato também inédito em campeonatos de surfe no mundo, pois até no WCT (World Championship Tour), a divisão principal do circuito mundial, esse sistema de disputa só começa a ser utilizado a partir da segunda fase.

Além disso, todos os 64 participantes de cada etapa receberão premiação em dinheiro. Os que forem eliminados logo na primeira rodada levam R$ 500,00, enquanto o campeão fatura R$ 22 mil dos R$ 107 mil distribuídos em cada etapa no masculino, e outros R$ 25 mil sendo divididos entre as 24 surfistas inscritas.

Com três surfistas que disputaram o WCT no ano passado escalados para as primeiras baterias, a primeira etapa do SuperSurf 2005 começa hoje, na Praia do Rosa, em Imbituba (SC).

Guilherme Herdy, Victor Ribas e Armando Daltro são as principais atrações do primeiro dia de disputas. O niteroiense Herdy pega o cearense Fábio Silva, enquanto Vitinho enfrenta o catarinense Marco Polo e Mandinho encara o paulista Cristiano Guimarães.

Os três duelos seguem a bateria inaugural da temporada 2005, marcada para as 9h, entre o paulista Costinha e o catarinense Fábio Carvalho. Os vencedores das baterias avançam para enfrentar os surfistas que ficaram da 17.ª a 32.ª colocações no ranking do SuperSurf 2004.

Entre os estreantes da segunda fase estão as outras duas estrelas do WCT: o paulistano Renan Rocha e o tricampeão brasileiro Peterson Rosa, do Paraná. Já os dezesseis melhores surfistas do ano passado, como os últimos campeões brasileiros Renato Galvão (2004) e Leonardo Neves (2002 e 2003), entram como cabeças-de-chave na terceira rodada.

O mesmo

Já o formato da categoria feminina continua o mesmo, com duas fases iniciais de quatro baterias de quatro atletas cada, antes dos confrontos mulher-a-mulher que começam nas quartas-de-final. A elite nacional é formada por 22 surfistas e mais duas participam como convidadas. As top-8 de 2004 são as cabeças-de-chave da temporada que estréiam na segunda fase, disputando classificação para as quartas-de-final. E as outras 16 atletas são divididas nas quatro baterias da rodada inicial. A premiação mínima para quem ficar em último lugar na etapa é de R$ 300,00 e a campeã fatura R$ 6 mil.

Sete ausências

Dos 82 integrantes da elite nacional de 2005, apenas sete surfistas não competirão na primeira etapa por motivos diversos: os campeões mundiais Pro Junior da ASP, Pablo Paulino (CE) e Adriano de Souza (SP), o campeão brasileiro do SuperSurf 2001, Tânio Barreto (AL), que se mudou para a Espanha, além de Wilson Nora (BA), André Silva (CE), Camila Amarante (SC) e Tita Tavares (CE), que está representando o país no WCT de Fiji.