Não é a primeira vez que o presidente do Atlético, Mário Celso Petraglia, faz escarcéu para conseguir arbitragem de fora numa final de Campeonato Paranaense. No ano passado, novamente diante do Coritiba, o dirigente, antes mesmo do primeiro duelo decisivo do Estadual, enviou um ofício solicitando que o árbitro e seus assistentes não pertencessem ao quadro de profissionais da FPF. O pedido foi negado e o Coritiba sagrou-se tricampeão paranaense ao derrotar o Furacão nos pênaltis.

As polêmicas se estenderam até o segundo jogo da final, no Couto Pereira, quando, pelo Twitter, Mário Celso Petraglia criticou duramente o ex-assistente Fifa Roberto Braatz, que trabalhava naquele Atletiba. “O auxiliar coxa Blatz [sic] já mostrando ao que veio! Impedimento mal marcado! Guerron livre para marcar! Si$tema funcionando!””, protestou Petraglia, que seguiu fazendo as postagens. “”Chego a sentir nojo! Ainda bem que será o último estadual…”, ameaçou o presidente rubro-negro.

As declarações custaram ao presidente do Furacão um processo por danos morais na Justiça Comum. Além disso, na Justiça Desportiva, Petraglia foi condenado pelo TJD-PR a 90 dias de suspensão e a pagar multa de R$ 50 mil. O Atlético também foi apenado com a multa de R$ 10 mil. O caso foi parar no STJD e a pena do dirigente foi reduzida para 60 dias de suspensão e multa de R$ 15 mil.

A partir daí, Petraglia prometeu que utilizaria a equipe sub-23 no Campeonato Paranaense deste ano e cumpriu o que disse. Agora, em sua nova carta de protesto, o dirigente atleticano ameaça usar no Estadual de 2014 um time sub-18 no Estadual.