A Chapecoense desponta como a surpresa deste início de Campeonato Brasileiro. Após a última vitória em casa contra o Santos, o time catarinense ocupa a sexta posição e busca a primeira vitória fora de casa contra a Ponte Preta, neste sábado, a partir das 18h30, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Para isso, o técnico Vinícius Eutrópio pede concentração total dos seus comandados para obter um bom resultado na quarta rodada da competição.

“Sabemos que temos ainda muito pela frente, que é um campeonato muito difícil. E por isso a experiência manda não se entusiasmar com nada. Pés no chão agora. Eu disse na palestra antes do jogo contra o Santos que foi fundamental os 15 dias após o término do (Campeonato) Catarinense. Não apenas para treinamento, mas também por motivos de raciocínio, fazer o mea culpa”, declarou o treinador, em entrevista coletiva.

Contra a Ponte Preta, o clube de Santa Catarina entra em campo no estádio Moisés Lucarelli para uma partida sem torcida, já que a equipe de Campinas foi punida por causa da confusão dos torcedores no ano passado em duelo com o Joinville, pela Série B. Ainda assim, Vinícius Eutrópio mostra cautela. Para o treinador, seu time não pode achar que vai ser fácil por causa dos portões fechados.

“Para a gente não cair numa armadilha de um jogo contra a Ponte Preta, sem torcida, e um time que tem pouco menos de camisa do que o Santos. Não podemos cair nisso”, alertou o técnico. “É uma decisão para a gente e cada jogo é um campeonato”, completou Vinícius Eutrópio na coletiva.

O adversário deste fim de semana está invicto no Brasileirão. A Ponte Preta tem cinco pontos e está na sétima colocação, uma posição atrás do time catarinense. Vinícius Eutrópio citou os pontos positivos do rival e pediu cuidado especial com uma peça: o volante Fernando Bob.

“Eles têm um jogador que, do meu ponto de vista, é o cérebro do time, o Fernando Bob. Tem o Renato Cajá, que é um definidor, além de ser o último passador. A Ponte tem também o Felipe Azevedo, o Biro Biro, garotos com boa finalização”, alertou o treinador. “É um time com poder de organização muito bom. Enfrentou os grandes de São Paulo de igual para igual e está mostrando o seu poder”, concluiu.

Com seis pontos, o clube do oeste catarinense ocupa a sexta colocação, longe da zona da degola no Brasileirão, e sonha com objetivos mais altos. A equipe deve ser a mesma que saiu jogando diante do Santos, com exceção de Camilo, que dá lugar a Hyoran.