O Paraná Clube recebeu o Oeste na noite desta terça-feira (07) na Vila Capanema, pela Série B do Brasileiro. O jogo foi um embate físico e nada mais: basta ver o número de cartões amarelos que foram distribuídos para ambos os times. A prova de tamanha rivalidade foi a saída em maca de Edson Sitta, do Tricolor, e Serginho, do Oeste. Como resultado, a partida ficou no empate sem gols.

Mesmo jogando em casa, o Tricolor se mostrou perdido em campo, mas ainda assim conseguiu ser mais assertivo que o Oeste, que pouco perigo ofereceu. Como consequência, a partida ficou congestionada e truncada. E árbitro foi obrigado a levar o primeiro tempo a 50 minutos, deixando jogadores e torcida irritados, mas nem isso fez com que um gol saísse.

Segundo tempo

A segunda parte, que teve 52 minutos, começou ainda mais lenta. O Paraná Clube se retraiu de tal forma que acabou, aos 17 minutos, levando um gol do Oeste, que a arbitragem não validou. Para tentar mudar o retrato que se imprimia no segundo tempo, as duas equipes criaram grupos com mais atacantes e menos focados na retranca.