Dos oito visitantes da rodada de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões, seis venceram. Mas nenhum foi tão bem quanto o Real Madrid. Nesta quarta-feira, os comandados de Carlo Ancelotti deram um show diante da Veltins-Arena mais uma vez completamente lotada, criaram mais de uma dezena de oportunidades reais de gol e venceram o Schalke 04 por incontestáveis 6 a 1. É a maior vitória de um time fora de casa nos playoffs na história da Liga.

Assim, os espanhóis foram perfeitos na rodada. O Barcelona venceu o City por 2 a 0 em Manchester e o Atlético de Madrid fez 1 a 0 no Milan no San Siro. O Real, porém, tem a situação mais cômoda e pode até perder de cinco gols na volta, dia 18 de março, uma terça-feira. E o lucro é ainda maior porque Ancelotti poderá poupar jogadores para pegar o Barça, dia 23, pelo Espanhol.

Já os alemães se dividiram. Enquanto o Bayern de Munique e o Borussia Dortmund, finalistas do ano passado, fizeram bonito e venceram respectivamente Arsenal (2 a 0) e Zenit (4 a 2) fora de casa, os demais foram goleados. Além do Schalke, o Bayern Leverkusen também fez feio diante de sua torcida e levou 4 a 0 do PSG.

O JOGO – Demorou 12 minutos para que o Real abrisse o placar. Cristiano Ronaldo recebeu na meia-lua e, de primeira, passou de calcanhar para Benzema chutar forte na saída do goleiro. No segundo, outro golaço, desta vez de Bale. Ele recebeu na ponta direita da área e, como jogador de futsal, colou a bola no pé. Passou no espaço apertado entre dois marcadores e bateu forte, de esquerda, aos 20.

Até então zerado no jogo, Cristiano Ronaldo pedalou sobre o marcador aos 31, bateu rasteiro, e acertou o pé da trave. Até o fim do primeiro tempo, o português ainda perderia mais dois gols, em grandes defesas de Fahrmann, que ia evitando uma goleada.

Só deu para segurar até o intervalo, porém. Depois voltou o show. Aos 7 minutos, Cristiano Ronaldo recebeu de Bale, pedalou bonito sobre o marcador, que ficou desnorteado, passou por ele e fez o gol que caprichosamente não entrou no primeiro tempo.

A lista de golaços só foi se ampliando: Aos 12, Benzema tabelou duas vezes com Cristiano Ronaldo, recebeu de calcanhar, driblou o goleiro e fez o quarto. No quinto, Sergio Ramos, dos poucos que não tem habilidade ímpar no time do Real, deu uma de Ronaldinho Gaúcho. Olhou para um lado e tocou do outro. Enfiou a bola para Bale bater cruzado e fazer o quinto.

Já quase no final, aos 44, Benzema roubou a bola e enfiou para Cristiano Ronaldo ganhar do marcador na corrida, driblar o goleiro e empurrar para dentro para anotar o sexto. Nos acréscimos, Huntelaar, ex-Real, recebeu na linha da grande área e bateu de voleio, de bate-pronto, no ângulo de Casillas. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar. O único gol do Schalke, talvez até o mais bonito do jogo de golaços, ainda gerou festa na torcida da casa.

ESTATÍSTICAS – Entre os diversos feitos alcançados pelos madrilenhos no jogo, dois chamam atenção. Pela primeira vez um time fez seis gols numa partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Além disso, Cristiano Ronaldo chegou aos 61 gols e se tornou o terceiro da história a passar dos 60 na competição, atrás apenas de Raúl (71) e Messi (66).