A estreia de Ricardo Drubscky foi calma Atlético não mostrou muito serviço, buscando ataques tímidos, apesar de alguns lances de perigo para Goiás, como quando Fernandão, que havia recebido a bola de Edgar Junio, chutou forte, teve a bola parada pelo goleiro Edson.

 

No primeiro tempo o Rubro-negro desperdiçou oportunidades importantes. Paulo Baier deixou passar a chance de converteu um gol para o Atlético em uma cobrança de falta, sofrida por Heracles na pequena área. Já o goleiro Weverton, que ganhou o posto de titular na equipe paranaense, começou trabalhando com os pés, mas teve de mudar a estratégia após as ofensivas do Goiás.

 

O time de Enderson Moreira, que já havia trabalhado com Drubscky no Venda Nova- MG, no Furação e no América-MG, sentia o peso de jogar fora de casa. Com um ataque de pouca velocidade, não soube aproveitar as chances dadas pelo time paranaense e teve de parar algumas bolas de forma mais dura. Essa postura resultou em cartões amarelos, para Thiago Mendes aos 39 minutos e Amaral, que impediu jogada de Paulo Baier aos 46 minutos.

 

As duas equipes buscaram jogadas longas, mostrando um pouco de desespero para marcar o primeiro gol.

 

Retomada

 

Tentando dar mais agilidade ao time, Drubscky opta por substituir Harrison, colando Pablo no lugar. Já Enderson pediu aos seus jogadores mais capricho nas finalizações. Mesmo assim, o Furação e o Goiás tiveram um início de segundo tempo quebrado, com jogadores buscando a bola desesperadamente.

 

Em uma jogada de velocidade, Deivid parte com a bola, sendo parado por Thiago Mendes. A chegada violenta deixou dúvida, no entanto, o árbitro Wagner do Nascimento não marcou falta, o que poderia acarretar na expulsão do jogador do Goiás.

 

A conclusão desse posicionamento em campo foi o choque entre o Ernando e o rubro-negro Fernandão, que voltou ao campo com ataduras na cabeça. Depois desse início mais veloz, o jogo ficou mais lento.

 

Para tentar criar jogadas mais eficazes, Enderson faz troca no Goiás, colando Ramon no lugar de David. Poucos minutos depois, Drubscky faz o mesmo no Atlético, mandando Edgar Junio para o banco e trazendo Ricardinho para o campo.

 

Somente a partir da metade do segundo tempo as duas equipes começaram a trazer preocupação ao adversário. Enquanto o Goiás não marcou, por pouco, um gol olímpico, o Atlético chegou muito perto da conversão com Paulo Baier, que recebeu a bola de Deivid, mas não contava com a eficiência de Edson.

 

Em um dos momentos mais bonitos e emocionantes da partida, precisamente aos 35 minutos da segunda parte, Júnior Viçosa do Goiás recebe na área, domina e dribla Cleberson, porém é interrompido por Manoel, que vem forte e tira a bola dos pés do adversário. 

 

Repetindo o que aconteceu no primeiro tempo, a arbitragem teve de distribuir cartões amarelos. Desta vez, os “contemplados” fora os atleticanos Pablo e Cleberson.

 

A próxima partida do Rubro negro será contra o Ceará, no sábado (23), às 16h20, no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza.

 

Começo meio estranho

 

Ricardo Drubscky não pode comandar a equipe na beira do campo. O técnico rubro-negro estava suspenso por conta de uma punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), quando ainda era treinador do Tupi-MG, na série D.

 

A nova casa do Atlético, o Caranguejão, não tem o mesmo padrão da Arena, o que fez com que alguns jogadores estranhassem, pois tiveram pouco tempo para se habituar com o gramado. A torcida atleticana, que compareceu em peso, começou incentivando os jogadores e terminou a partida xingando o presidente rubro-negro.