No jogo que encerrou a 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro, Sport e Santos entraram em campo neste domingo, no estádio da Ilha do Retiro, no Recife, com o mesmo objetivo: encostar na quarta posição, hoje ocupada pelo São Paulo com 38 pontos. O futebol mostrado pelas duas equipes, porém, não permitiu sonhos mais altos. Em uma partida de muitos erros, um chato empate em 1 a 1, que deixou o time alvinegro em 8.º lugar, com 34 pontos. O rival rubro-negro é o 10.º, com 33.

Sem vencer desde o dia 19 de julho, quando bateu o São Paulo por 2 a 0 na Arena Pernambuco, esperava-se que o Sport partisse para cima do Santos desde o começo do jogo. Sem perder desde nenhum confronto desde a mesma data, quando foi derrotado pelo Palmeiras por 1 a 0 no Allianz Parque, esperava-se que o time paulista mostrasse a mesma desenvoltura dos últimos jogos. Mas nada disso aconteceu na vazia Ilha do Retiro.

O que se viu em campo foi um início de jogo sonolento, com os pernambucanos timidamente buscando espaços, principalmente pela direita do ataque. O jogo seguiu sem nenhuma emoção até os 20 minutos. Em uma falta levantada por Victor Ferraz para a área, Gustavo Henrique desviou de cabeça, Danilo Fernandes espalmou para a frente e Ricardo Oliveira, completamente impedido, só teve o trabalho de empurrar a bola para dentro do gol. Foi o 15.º gol do artilheiro isolado deste Brasileirão.

Eduardo Baptista, treinador do Sport, fez uma alteração logo após tomar o gol. Sacou Wendell e colocou Régis. Aos 26 minutos, o Santos perdeu a chance de fazer 2 a 0 com Rafael Longuine – Marquinhos Gabriel carregou a bola pelo meio e deixou o atacante em boa posição para finalizar, mas ele chutou para fora.

O castigo veio rápido. Um minuto depois, Marlone deu um passe curto para dentro da área, o zagueiro David Braz cortou mal, em um erro grosseiro, e a bola sobrou livre para o atacante André, ex-Santos, só tocar na saída de Vanderlei e empatar a partida. O gol poderia ter empolgado o time do Nordeste e acelerado um pouco o jogo, mas a partida continuou terrível, de baixa qualidade técnica e se arrastou até o término do primeiro tempo.

No segundo, o Sport voltou melhor. Se por um lado faltava qualidade na criação das jogadas, por outro sobrava vontade de tentar decidir o jogo. A primeira boa chance surgiu aos 11 minutos, quando Gustavo Henrique tirou a bola da cabeça de André, que receberia livre para virar o jogo. Aos 22, André arriscou de longe e a bola passou raspando a trave de Vanderlei. Aos 23 foi a vez de Thiago Maia salvar – Régis pegou rebote e chutou com força, mas o volante se jogou e tirou de cabeça o gol certo.

As melhores chances para o gol da vitória de um dos dois lados surgiram após os 30 minutos. Aos 31, o Sport perdeu a melhor oportunidade da partida, de novo com André. Ele recebeu livre dentro da área e chutou na trave. Aos 36 foi a vez do Santos desperdiçar ótima chance. O zagueiro Rene falhou na cobertura, Ricardo Oliveira chutou e Danilo defendeu. No rebote, Gabriel mandou por cima do gol. Foi a última tentativa de salvar uma partida horrorosa, uma das piores do campeonato.

FICHA TÉCNICA

SPORT 1 x 1 SANTOS

SPORT – Danilo Fernandes; Ferrugem, Matheus Ferraz, Durval e Renê; Rithely, Wendel (Régis), Diego Souza (Hernane) e Marlone; Maikon Leite (Samuel) e André. Técnico: Eduardo Baptista.

SANTOS – Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo e Zeca; Thiago Maia, Renato, Rafael Longuine (Serginho) e Marquinhos Gabriel (Neto Berola); Gabriel (Leandro) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

GOLS – Ricardo Oliveira, aos 20, e André, aos 27 minutos do primeiro tempo.

CARTÃO AMARELO – Matheus Ferraz (Sport).

ÁRBITRO – Emerson de Almeida Ferreira (MG).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 7.308 pagantes.

LOCAL – Estádio da Ilha do Retiro, no Recife (PE).