Uma noite para esquecer. O Atlético fez uma de suas piores partidas do ano e acabou goleado pelo Botafogo, que venceu o duelo por 4 a 0. O resultado mantém o rubro-negro na vice-liderança (pelo menos até amanhã), mas o time viu a diferença para o Goiás, quinto colocado, reduzir a dois pontos.

Mesmo com uma formação ofensiva, o Atlético parecia estar desinteressado em participar do jogo. O Botafogo chegava diversas vezes com perigo, enquanto o rubro-negro pouco incomodou o goleiro Jefferson.

A insistência do alvinegro carioca foi recompensada aos 27 minutos. Seedorf, o melhor em campo, escorou de cabeça para Elias passar pelas costas de Manoel e mandar de peixinho para o fundo das redes.

Sem poder de reação, o Atlético chamou o Botafogo para o campo de ataque. Aos 33, Rafael Marques mandou um foguete que acertou a trave de Weverton. Três minutos depois, veio o segundo gol avinegro. Zaga atleticana bateu cabeça, Hyuri ficou com a bola e rolou para Seedorf. O holandês encheu o pé e aumentou a fatura.

Dois vira, quatro ganha

Se na primeira etapa o Atlético esteve disperso, no segundo o time voltou mais ligado. Tanto que começou pressionando o Botafogo, que se preocupou mais em ficar gastando o tempo a jogar. Ederson, em uma cobrança de falta, quase diminuiu a diferença do placar.

Porém, o domínio atleticano acabou sendo “estéril”, pois o time pouco chutou a gol e começou a ceder espaços para o Botafogo, que voltou a ficar ligado na partida e passou a incomodar o goleiro Weverton.

A dificuldade que o time atleticano vinha tendo piorou quando aos 29 minutos o lateral Léo foi expulso ao tomar o segundo cartão amarelo. Detalhe é que o primeiro cartão foi aos 27.

Três minutos depois da expulsão, veio o terceiro gol. Bruno Mendes aproveitou mais um vacilo da defesa do Atlético e ampliou. O rubro-negro nem tinha assimilado o terceiro tento quando, aos 36, veio o golpe de misericórdia, novamente com Bruno Mendes, em novo vacilo da retaguarda atleticana.

O próximo jogo do Atlético pelo brasileiro será contra o Náutico, em casa.