O novo técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, realizou neste domingo sua última partida à frente do Corinthians, na vitória por 3 a 1 sobre o Guarani, pelo Campeonato Brasileiro. Ao final do jogo, o treinador deu uma volta no campo e foi ovacionado pela torcida.

Emocionado, ele retribuiu com palmas para cada setor do Pacaembu. E garantiu que será difícil deixar o Corinthians. “É legal porque é uma coisa natural, que partiu do coração do torcedor. Vale muito para mim. É difícil ver uma torcida fazendo isso quando o técnico parte. Estou emocionado, porque gosto daqui (do Corinthians), o que torna a saída mais difícil”, declarou Mano.

Apesar de enaltecer o seu carinho pelo clube, o técnico enalteceu que os jogadores do Corinthians não terão mais chances de ser convocados para a seleção. “Não farei a escolha dos jogadores por outro fator que não seja a qualidade técnica. Se os jogadores do Corinthians estiverem bem, serão convocados. Mas jamais estarão presentes na seleção só por serem do Corinthians”, garantiu.

Mano concordou com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, sobre a necessidade de renovação no Brasil, mas afirmou que ela não pode ser acelerada. “Precisamos sim passar por essa transformação, mas não será na velocidade que imaginam. Não podemos expor o futebol brasileiro. É um processo difícil de ser conduzido, pois há um oscilação maior”, analisou.

Sobre o novo técnico do Corinthians, Adilson Batista, Mano afirmou não ter aconselhado a diretoria, por ser “uma responsabilidade muito grande”, mas elogiou seu substituto. “É competente, jovem e vem fazendo bons trabalhos. Ainda não tem a calma que eu tenho, mas vai adquirir”, completou.