Um dia depois da eliminação do Corinthians na Copa Libertadores, Ronaldo veio à público nesta quinta-feira para pedir respeito e reafirmar o seu amor pelo clube. Emocionado, o atacante rejeitou as acusações de falta de comprometimento com o clube e comparou a frustração de quarta-feira à eliminação em uma Copa do Mundo.

“É muito fácil falar de comprometimento do lado de fora, fazer julgamentos. Eu estava vendo com o Valmir [Cruz, preparador físico] essa semana, estou entre os 10 que mais treinaram no ano, com a maior média de carga horária e de distância percorrida nos treinos”, garantiu o jogador, que disputou as últimas partidas visivelmente fora de forma.

“Muitas vezes esses dados não são passados, o torcedor não quer saber disso, quer futebol jogado”, declarou. “Tenho 33 anos, oito operações no corpo, muitas dores, e, enfim [neste momento se emocionou bastante e teve que interromper a resposta]… tenho de ouvir isso, sobre comprometimento. O povo está comigo, o corintiano está comigo e é isso”, disse, em tom de desabafo.

Ronaldo aproveitou a entrevista para devolver as críticas que tem recebido desde o início do ano. “Estamos muito atrasados em nosso comportamento, até mesmo as chacotas, são coisas que podem ser engraçadas, mas são muito ofensivas e direcionadas. Precisa ter respeito com profissional, com história do cidadão e evoluir”.

“Tenho admiração muito grande pelos Estados Unidos porque lá o ídolo é realmente um ídolo. Chega a ser quase intocável. Falam do Jordan [Michael, ex-jogador de basquete] como se fosse Deus na terra”, completou.

Apesar da frustração com a queda na Libertadores, principal objetivo do Corinthians no ano do seu centenário, o atacante garantiu que vai honrar os seus compromissos com o clube. “Lógico que vou cumprir meu compromisso com o Corinthians, até porque cada dia que passa eu sou mais apaixonado pelo Corinthians, meu amor cresce a cada dia, a cada manifestação da torcida. A cada título ou a cada derrota eu me identifico mais com esse clube”.

Como aconteceu na noite de quarta, o Ronaldo lamentou a queda na Libertadores e comparou a frustração com a eliminação em uma Copa do Mundo, experiência vivida por ele nos Mundiais de 1998 e 2006.

“O sentimento geral do grupo é de muita tristeza, porque tivemos campanha incrível na Libertadores que não foi suficiente. Demos o máximo, corremos muito, fomos guerreiros e não conseguimos. A decepção é igual a do nosso torcedor”, declarou. “Foi uma das minhas grandes frustrações, porque envolve muita gente, nossa torcida é muito grande. É uma tristeza comparada à derrota de Copa do Mundo”.

Passada a frustração, Ronaldo quer agora levar o time a mais uma Libertadores. “O Corinthians é muito grande e temos de pensar nas melhores coisas para ele. No Brasileiro temos a grande chance de se reafirmar e, sem dúvida, conquistar vaga na Libertadores de 2011 é um grande objetivo”.